Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Autoridades angolanas descartam que arroz suspeito seja de plástico

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/08/2017 Administrator

Os resultados das análises de três laboratórios diferentes confirmaram que o suposto arroz de plástico, proveniente da Tailândia, comercializado em Angola, é afinal próprio para consumo humano, de acordo com as autoridades angolanas.

A indicação foi hoje divulgada pelo inspetor-geral do Comércio, Heleno Antunes, em conferência de imprensa, para apresentação dos resultados dos testes feitos ao produto, de marca "Cordão Azul" dentro e fora do país.

Heleno Antunes disse que foram apreendidos 12.500 sacos de 25 quilogramas cada um do suposto arroz, devido a denúncias feitas por consumidores ao Ministério do Comércio e outras divulgadas nas redes sociais.

O responsável avançou que o arroz apreendido já foi devolvido aos comerciantes, considerando má-fé as denúncias feitas, que tinham apenas como objetivo "descredibilizar as instituições do Estado".

Por sua vez, o técnico do laboratório do Ministério da Agricultura de Angola, Augusto Cambiz, citado pela agência noticiosa angolana, Angop, referiu que o arroz foi submetido a análises microbiológicas, física, química e organolépticas, tendo ficado provado que o odor, sabor e cor do produto indicam características "de um arroz normal".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon