Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Azores Burning Summer reúne música e ambiente com concerto em língua gestual

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/08/2017 Administrator

Capitão Fausto, Lavoisier, Serial Killaz, Coldcut e Bonga, são cabeças de cartaz do Azores Burning Summer, em setembro no Porto Formoso, Açores, num festival ecomusical com a particularidade, este ano, de um concerto traduzido em língua gestual.

"O festival aposta nas vertentes ecológica, ambiental e musical. A nossa ideia é apresentar um cartaz de qualidade e um pouco alternativo ao que se verifica na região e aproveitar o volume de pessoas para apresentar uma série de atividades alternativas dentro das questões ambientais", afirmou Filipe Tavares, da organização do Azores Burning Summer, que decorre a 01 e 02 de setembro em São Miguel.

Organizado pela Associação Regional para a Promoção e Desenvolvimento do Turismo, Ambiente, Cultura e Saúde (ARTAC), o festival realiza-se desde 2015 na freguesia do Porto Formoso e é produzido pela Ventoencanado.

"Além do trabalho da melhoria do espaço do evento e de um conjunto de ações com vista à conservação ambiental, temos procurado afirmar aquilo que caracteriza este festival, a componente ambiental", destacou Filipe Tavares, acrescentando que na edição deste ano será disponibilizado transporte gratuito desde a entrada da freguesia do Porto Formoso até ao recinto de espetáculos, na praia, mantendo-se a prática do sistema de reutilização dos copos com vista à redução da produção de lixo plástico durante o evento e a utilização de outros materiais recicláveis como pratos e cartazes.

O evento tem como ponto alto a fogueira Burning Summer, na praia de Porto Formoso, um dos pontos turísticos da ilha, na última madrugada do festival.

Entre as várias atividades integradas no programa ambiental, Filipe Tavares salientou a exposição de veículos elétricos onde este ano estarão patentes "um maior número de marcas", o Burning Market, uma feira de artesanato, produtos naturais e peças de autores de 'ecodesign', "que estará localizada no recinto do festival".

Destaque ainda para as Eco Talks, painéis de debate em torno de questões ambientais, como a agricultura, mar e sustentabilidade, resíduos, turismo, energias renováveis ou cultura.

O Azores Burnning Summer compreende ainda o Land Art Project (LAPA), um projeto artístico idealizado na edição de 2015 que promove a criação de obras de arte e instalações.

Pelo palco do festival vão passar ainda DJ como Branko, que integrava o projeto Buraka Som Sistema e Mike Stellar com uma componente cinematográfica, indicou Filipe Tavares.

Visando a inclusão, a direção do festival estabeleceu uma parceria com a Associação de Surdos da Ilha de São Miguel (ASISM) para aproximar este público à programação artística, pelo que o concerto dos portugueses Lavoisier vai ser traduzido para língua gestual portuguesa

O festival tem acesso pago no parque dos Moinhos, enquanto na praia vai decorrer um programa gratuito, entre as 13:00 e as 18:00 num palco montado na esplanada do bar.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon