Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bahrein quer "congelar" adesão do Qatar ao Conselho de Cooperação do Golfo

Logótipo de O Jogo O Jogo 30/10/2017 Administrator

O chefe da diplomacia do Bahrein propôs hoje "congelar" a adesão do Qatar ao Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) até que Doha aceite as reivindicações apresentadas pelos seus adversários árabes.

Fundado em 1981, o CCG junta Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Omã e Qatar. Segundo analistas, o bloco regional está "em vias de morrer" devido à crise que estalou em junho entre o Qatar e alguns dos países vizinhos.

"A abordagem correta para preservar o CCG consistiria em 'congelar' a adesão do Qatar até que volte à razão e aceite as reivindicações dos nossos países. Caso contrário, nós seremos melhor sem a sua participação" no bloco regional, escreveu o ministro dos Negócios Estrangeiros do Bahrein, o xeque Khaled ben Ahmad al-Khalifa, na sua conta na rede de mensagens instantâneas Twitter.

"O Bahrein não participará numa cimeira na presença do Qatar que continua a aproximar-se do Irão e a trazer forças estrangeiras [em referência aos militares turcos], o que constitui uma ameaça para a segurança dos membros do CCG", frisou.

O Bahrein, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos e o Egito, romperam, em 05 de junho, as relações diplomáticas com o Qatar, que acusaram de apoio ao terrorismo, desestabilização da região e aproximação ao Irão.

O quarteto impôs ainda severas sanções económicas (interrupção das ligações aéreas, terrestres e marítimas), desencadeando a mais grave crise regional desde a guerra do Golfo de 1991.

Os países do CCG devem reunir-se numa cimeira antes do final do ano, mas a crise com o Qatar pode resultar no adiamento ou cancelamento do encontro anual.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon