Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Banco de Moçambique considera alta a dívida interna do país

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/10/2017 Administrator

O governador do Banco de Moçambique, Rogério Zandamela, considerou hoje alta a dívida interna do país, estimada em 100,5 mil milhões de meticais, remetendo para a dinâmica do mercado a solução sobre a sustentabilidade da mesma.

"Quanto à questão da dívida interna, ela é alta", afirmou Rogério Zandamela, fixando o endividamento público interno em 100,5 mil milhões de meticais [cerca de 1,41 mil milhões de euros] contra 97,7 mil milhões de meticais em agosto.

O comportamento da dívida interna, prosseguiu, tem sido influenciada pelo crescente recurso do Estado aos bilhetes de tesouro para se financiar, perante o corte da ajuda dos parceiros internacionais ao Orçamento do Estado.

"Este endividamento evidencia, em parte, as dificuldades que o setor público vem enfrentando na mobilização de recursos para financiar as suas despesas, num contexto em que não se vislumbra, a curto e médio prazo, o retorno do apoio externo direto ao Orçamento do Estado, o que traduz a prevalência de um risco fiscal elevado", declarou Rogério Zandamela.

Questionado sobre a sustentabilidade do recurso à dívida interna por parte do Estado, o governador do Banco de Moçambique remeteu a solução para a dinâmica do mercado.

"Em última instância, é o mercado que decide, porque quem compra essa dívida é o mercado" e deverá ser dele próprio que devem surgir sinais caso se chegue a um nível insustentável, acrescentou Rogério Zandamela.

Uma vez que o grosso da dívida interna é composta por bilhetes de tesouro, prosseguiu, caberá aos detentores desses direitos decidir se continuam ou não a apostar nesse tipo de investimento.

"Não seria credível dizer que, quando estamos neste nível, estamos mal", frisou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon