Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Banco Mundial oferece veículos para o Recenseamento Geral em Moçambique

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/07/2017 Administrator

O Banco Mundial ofereceu 131 viaturas, 750 motorizadas e 10 mil bicicletas ao Instituto Nacional de Estatísticas de Moçambique para a realização do IV Recenseamento Geral da População e Habitação, que decorre de 01 a 15 de agosto.

Um comunicado do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) distribuído hoje em Maputo refere que a oferta do Banco Mundial inclui ainda 10 mil bicicletas, que serão distribuídas por todas as 11 províncias moçambicanas.

"Quer as viaturas, quer as motorizadas e bicicletas destinam-se, exclusivamente a operações de recolha estatística no território nacional, concretamente para apoio direto de campo a supervisores, controladores e recenseadores da vasta operação censitária", refere a nota de imprensa.

Aos delegados provinciais do INE compete a fiscalização do uso das viaturas para o fim a que foram destinadas, acrescenta o comunicado.

O INE explica que, no fim do IV Recenseamento Geral da População e Habitação, as viaturas serão recolhidas para as delegações provinciais da entidade e as motorizadas e bicicletas ficarão a cargo dos governos distritais.

Os veículos serão integrados no Património do Estado.

O INE prevê registar, de 01 a 15 de agosto, 27 milhões de habitantes, no âmbito do IV Recenseamento Geral da População e Habitação.

"Em 2007, o censo apurou que éramos 20,8 milhões [de habitantes] e em 2017, de acordo com as nossas projeções, a população do país está estimada em cerca de 27,1 milhões", um crescimento de 30%, disse Cirilo Tembe, numa entrevista à Lusa, no início do mês.

O custo do IV Recenseamento Geral da População e Habitação está estimado em 75 milhões de dólares (66,5 milhões de euros), dos quais 45 milhões de dólares (39,9 milhões de euros) serão despendidos durante o censo, afirmou Cirilo Tembe.

O primeiro Recenseamento Geral da População em Moçambique foi realizado em 1980, cinco anos após a independência, seguindo-se os de 1987, 1997 e 2007, com um intervalo de dez anos entre cada um, como recomendam as práticas internacionais sobre censos populacionais.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon