Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bas Dost fez lembrar Liedson e só vê Mário Jardel à frente

Logótipo de O Jogo O Jogo 12/03/2017 Hugo Monteiro

Com o póquer em Tondela, o holandês chegou aos 22 golos na Liga - tem menos um do que Messi na luta pela Bota de Ouro - e é o primeiro desde o Super-Mário a superar os 20 em ano de estreia.

© Tony Dias/Global Imagens

Protagonista de uma noite de sonho, Bas Dost marcou os quatro golos da vitória do Sporting em Tondela e continua a abrir caminho rumo ao panteão de históricos do clube lisboeta, estando também metido na corrida à Bota de Ouro europeia - Messi, com 23 golos (46 pontos, mais dois do que o holandês), lidera a lista. Com o póquer de ontem, o avançado chegou aos 22 tiros certeiros na I Liga e tornou-se o primeiro desde Mário Jardel (fez 42...) a superar a barreira dos 20 em ano de estreia no campeonato com o leão ao peito. Dost, que levou a bola de jogo para casa como recordação, também igualou os quatro golos marcados pelo Wolfsburgo na vitória sobre o Leverkusen (5-4), em fevereiro de 2015, e, caso tivesse faturado o penálti, repetiria a "manita" somada pelo Heerenveen, no triunfo sobre o Excelsior (5-0) em 2011.

Confrontado com o feito, o camisola 28 lamentou a grande penalidade defendida por Cláudio Ramos. "O sentimento é bom, mas falhei o terceiro penálti e não me esqueço disso. Podia ter feito melhor, mas marquei quatro golos e a equipa ganhou. Melhor marcador? Não sei o que é que os outros ainda vão fazer. Estou na frente e sei que posso ganhar a corrida", disparou Dost, que também deixou uma palavra simpática para o Tondela: "Espero que façam alguns pontos e consigam manter-se na Liga."

citacaoO último leão a apontar quatro golos no mesmo jogo, para o campeonato, tinha sido Liedson, frente ao Belenenses, em março de 2010. Uma histórica "manita" ficou à distância de um penálti falhado...

O treinador Jorge Jesus também não ficou indiferente à exibição do primeiro jogador desde Liedson a apontar quatro golos no mesmo jogo para o campeonato - o brasileiro fê-lo em março de 2010, no triunfo por 4-0 sobre o Belenenses -, mas sublinhou que 22 golos ainda não são suficientes para cantar vitória na luta pelo prémio de melhor marcador: "Esse título individual não era um objetivo quando a época começou; nem sonhávamos com isso. Os 22 golos não chegam porque os outros vão fazer mais, mas se tivermos essa possibilidade, vamos trabalhar para ele."

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon