Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

BE considera "patético" o comportamento de Carlos Carreiras sobre praia de Carcavelos

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/09/2017 Administrator

A candidata do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara Municipal de Cascais, Cecília Honório, considerou hoje "patético" o comportamento do presidente da autarquia, Carlos Carreiras, na sequência da interdição de banhos na Praia de Carcavelos.

Na quinta-feira de manhã, a praia foi interditada pelo delegado regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Mário Durval, por receios de contaminação, e pedidas análises à qualidade da água.

A interdição viria a ser levantada na sexta-feira, após terem sido conhecidos os resultados das análises à água, e o presidente da Câmara de Cascais acusou o delegado regional de saúde de ser um "'boy' do BE", lamentando a decisão, que considerou "despropositada e inconsequente".

"Prova uma forma negativa de fazer política. Querem atacar a câmara, mas só atacam os interesses dos munícipes. O que vale é que as pessoas têm confiança em nós e não nestes pseudopolíticos", afirmou, na altura, o autarca do PSD.

Hoje, Cecília Honório reagiu às acusações, em comunicado, considerando-as graves, comentando que o presidente da câmara teve um comportamento "patético" nesta situação".

"Esperava-se que tivesse sido a primeira voz a manifestar preocupação face às descargas, que duraram dias, ou que tivesse sido o primeiro a tranquilizar as populações, garantindo-lhes que não havia qualquer risco, dado que a Agência Portuguesa de Ambiente realizou análises à água no dia 30 de agosto", comentou a candidata do BE sobre Carlos Carreiras.

Cecília Honório acusa o autarca do PSD de, inicialmente ter ficado calado, e, depois, ter "vestido a roupa de candidato para culpar o BE pela interdição", lançando um comunicado no qual concluía: "No fim do dia, percebemos todos que foi um militante do BE a interditar Carcavelos."

"Com tantos problemas em Cascais, por exemplo na habitação ou nos transportes, não passa pela cabeça de ninguém que a interdição de uma praia seja um tema de campanha. Carlos Carreiras segue a lógica que tomou conta do PSD: fazer barulho sobre tudo para não ter de falar sobre nada", considera a candidata bloquista.

No comunicado hoje divulgado, Cecília Honório instou ainda Carreiras "explicar melhor as razões pelas quais não candidatou as praias de Cascais à bandeira azul".

Na sexta-feira, confrontado pela Lusa com as acusações do autarca de Cascais, Mário Durval lembrou que é autoridade de saúde há mais de 40 anos e que "nunca ninguém ousou fazer declarações dessas", considerando que "as discussões partidárias não são para se ter neste âmbito".

"Compreendo que nesta altura de eleições [autárquicas] ele se terá excedido. Ele devia ter respeitado um pouco mais a Autoridade Regional de Saúde. Tomamos decisões com base na defesa da saúde das populações e, neste caso, foi com base no princípio da precaução", sustentou.

Na altura, explicou que a medida "foi absolutamente necessária para garantir a segurança dos banhistas", uma vez que "não havia garantias que a água não estivesse contaminada".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon