Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

BE desafia PS a não parar "comboio em movimento" da recuperação do país

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/09/2017 Administrator

O líder parlamentar do BE desafiou hoje o PS para que não se pare "o comboio em movimento" de recuperação do país e rejeitou escutar quem sempre disse que "o passo era sempre maior que a perna".

Numa declaração política no parlamento, Pedro Filipe Soares fez um pequeno balanço da primeira metade da legislatura, considerando que "caiu a máscara da chantagem da direita", ao ser possível garantir a estabilidade política e fazer a recuperação de rendimentos através da atual solução governativa, em que o executivo minoritário do PS conta com o apoio de BE, PCP e Verdes no parlamento.

"Por isso, quando somos confrontados com os desafios dos próximos meses, a pergunta é se vamos escutar os que no passado agoiraram contra o país, devemos escutar aqueles que diziam que o passo era sempre maior que a perna? Ou devemos perceber que a confiança do país na recuperação dos rendimentos é o caminho que devemos seguir para garantir que a confiança no país não desaparece", questionou.

Para o líder parlamentar do BE, a resposta é inequívoca e passará por continuar a exigir que "o caminho seja de recuperação".

"O que esperamos é que haja a coragem para que ninguém queira parar este comboio que está em movimento. Esta realidade é estranha à direita, sabemo-lo bem, agora não acreditamos que seja estranha a quem fez uma maioria parlamentar para a construção de um novo rumo neste país", disse, num desafio dirigido ao PS e ao seu líder, António Costa.

Na qualidade de primeiro-ministro, António Costa reuniu-se na quarta-feira no parlamento com dirigentes e coordenadores do Grupo Parlamentar do PS com o Orçamento do Estado do próximo ano na agenda.

No final, afirmou que a proposta de Orçamento para 2018 será de "progresso sustentável", mas com gestão "prudente", recusando a ideia de "folga financeira" e a perspetiva de dar "passo maior do que a perna".

Interrogado sobre as pressões para que a proposta de Orçamento do próximo ano possa ir mais longe em matéria de aumento de rendimentos, em consequência do maior crescimento económico verificado este ano, o líder do executivo respondeu: "Não há folga".

Na sua declaração política, o líder parlamentar do BE aproveitou ainda para saudar o referendo marcado para 01 de outubro pela independência na Catalunha e manifestou solidariedade para com os portugueses que sofreram com os incêndios deste verão.

"Há uma comissão de peritos a trabalhar, aguardamos ansiosamente pelas conclusões para depois darmos continuidade ao debate político", referiu Pedro Filipe Soares.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon