Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bebida, comida e muita fé a caminho do Jamor

Sportinveste 18/05/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
Benfica conquistou a Taça de Portugal pela 25ª vez desde que, em 1938/39, a prova começou a ser dis ...: Todos os vencedores do troféu © Sportinveste Multimédia Todos os vencedores do troféu

Boa disposição e esperança foram os sentimentos que dominaram na partida dos adeptos do Rio Ave, esta manhã, para a final da Taça de Portugal, no Jamor, frente ao Benfica. Cerca de 50 autocarros partiram às 7:30 de Vila do Conde, levando mais de 2.500 adeptos trajados a rigor e devidamente apetrechados para a festa do Jamor e com firme convicção que logo à noite haverá festa..

Miguel Silva veio com o sobrinho, mas e antes de entrar para o autocarro deixou um recado para filha, que vai ficar em casa e ver o jogo pela televisão. "Prepara as bandeiras grandes para cá trazeres mais logo, porque vamos trazer a Taça", partilhou esperançado e não se intimidando com o Benfica. "O Rio Ave pode não ter tão bons jogadores, mas estamos mais frescos. O Jesus tem uma equipa muito cansada. Não se vão aguentar", disse.

Mais à frente, a família Lopes, apresentou-se em frente ao Estádio dos Arcos devidamente preparada para o pré-jogo. Além das lancheiras com o almoço já preparado de véspera, levam uma mesa e umas quantas cadeiras de campismo. "Ainda vão ser umas horas à espera antes do jogo, temos de estar preparados", contou Manuela, matriarca, revelando as iguarias preparadas: "Temos rissóis, panados, carne assada, salada e fruta. Preparei tudo de véspera. Para ver o Rio Ave vencer temos que ter o estômago bem forrado", garantiu.

De Caxinas vieram os amigos Paulo Ramos e Manuel Bastos. Cada um carregava um pacote de 12 cervejas, antecipando que talvez não cheguem para a viagem toda. "As do Paulo é para irmos bebendo pelo caminho, temos umas sandes para acompanhar. O resto é para quando lá chegarmos", disse Manuel, confessando não ser "adepto ferrenho", mas que "não poderia deixar de ir ver o Rio Ave no Jamor". "É uma experiência que não sei quando voltará a acontecer", justificou.

Paulo, mais velho, ainda se lembra de ver na televisão, a final de 1984, frente ao FC Porto, e espera a desforra. "Na altura perdemos 4-1, mas agora é diferente. As coisas vão ser mais equilibradas. E tenho fé que se vai fazer um São João antecipado aqui em Vila do Conde logo à noite".

Com o apertar do frenesim da partida, e a chegada de alguns retardatários, a organização tentava colocar toda gente nos autocarros, e apesar de algumas queixas de falta de organização, tudo se foi compondo, e até um grelhador de grande dimensões entrou à pressa na mala de um autocarro.

Fonte: O Jogo

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon