Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Benfica avança para a renovação de Fejsa

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/07/2017 Alcides Freire
Fejsa © Fornecido por O jogo Fejsa

Luís Filipe Vieira tem nos seus planos negociar em breve a prorrogação do vínculo do médio que expira em 2019

Fejsa vai ficar ligado ao Benfica para lá de junho de 2019. É esta a intenção dos responsáveis encarnados que, segundo O JOGO apurou, será corporizada numa proposta de renovação do vínculo que expira no final da próxima temporada, sendo este um processo que será conduzido por Luís Filipe Vieira e que terá evolução antes do arranque oficial da nova época.

O líder dos encarnados tem previsto apresentar um novo contrato ao médio sérvio, que contemplará mais um ou dois anos de ligação entre as partes, com uma correspondente melhoria salarial. Desta forma, Luís Filipe Vieira pretende manter ou reforçar a blindagem ou capacidade negocial do Benfica sobre o futuro do jogador de 28 anos.

Esta decisão surge numa altura em que vários clubes demonstraram interesse no internacional sérvio, contratado em 2013/14 ao Olympiacos, por 4,5 milhões de euros. A Lázio, como o nosso jornal noticiou na semana passada, foi um dos emblemas que perguntou por Fejsa, entre um lote que, segundo foi apontado em Itália, integra ainda outros, como a Fiorentina.

O presidente das águias não pretende vender o camisola 5, admitindo apenas mudar de opinião se lhe colocarem sobre a mesa ofertas próximas à cláusula de rescisão, estipulada em 35 milhões de euros. E este bloqueio ao mercado deve-se à importância que o jogador tem na manobra da equipa, pois Rui Vitória considera-o uma peça fundamental no estilo de jogo definido, dado funcionar como um pêndulo no meio-campo, que permite maior liberdade ofensiva a outros companheiros e, consequentemente, garante a coesão defensiva. Mais agora, no seguimento das vendas de três elementos do setor recuado (Ederson, Lindelof e Nélson Semedo), que obrigarão a uma readaptação de processos defensivos dos substitutos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon