Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Benfica crítico da decisão do Conselho de Disciplina

Logótipo de O Jogo O Jogo 28/03/2017 Alcides Freire

Bruno de Carvalho foi hoje suspenso pelo Conselho de Disciplina da FPF por 113 dias, enquanto o diretor-geral, Octávio Machado, foi punido com 75.

Os castigos e multas aplicados pelo Conselho de Disciplina (CD) a Bruno de Carvalho e Octávio Machado, presidente e diretor-geral do Sporting, respetivamente, resultaram de uma queixa do Benfica, mas estão longe de satisfazer o clube da Luz. A acusação contra a Sporting, SAD teve a moldura penal alterada (deixou de ser considerada infração disciplinar grave, que configurava pena de interdição de um a três jogos) pela Comissão de Instrutores (CI) da Liga - que rendeu a Comissão de Intrução e Inquéritos (CII) - antes de remeter o processo para deliberação do CD, facto que leva o Benfica a protestar, considerado, por fonte oficial, que este é um caso que reflete "impunidade total". "É a mesma coisa que a PGR entrar e alterar uma decisão da equipa anterior, de mais grave para menos grave, dando ainda a prescrição", afirmou fonte oficial do Benfica a O JOGO. "É a impunidade total. Em tempo de justiça, isto é inconcebível", concluiu sobre as decisões do CD conhecidas esta terça-feira.

A mesma fonte considera que o acórdão publicado pela secção profissional do CD "vem dar razão às preocupações manifestadas pelo Benfica quer publicamente, quer junto das instâncias próprias [FPF e Liga]", acrescentado que "o processo aqui em causa revela situações demasiado graves para que fiquem sem uma explicação".

. © Tony Dias .

A acusação contra a Sporting SAD foi julgada prescrita pelo facto de terem decorrido mais de 30 dias sobre o que foram entendidas serem "faltas leves" dos autores, entendendo o CD que a factualidade que suportava a acusação preenchia o ilícito disciplinar inscrito no artigo 127º do regulamento -- sobre inobservância de outros deveres. Inicialmente, os factos foram enquadrados no artigo 118º (inobservância qualificada de outros deveres), que prevê interdição do estádio por um a três jogos e que se enquadra nas infrações graves, cujo prazo de prescrição é de um ano.

Recorde-se que Bruno de Carvalho foi hoje suspenso pelo Conselho de Disciplina da FPF por 113 dias, enquanto o diretor-geral, Octávio Machado, foi punido com 75. Em causa uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015 e que o CD apenas agora decidiu, por unanimidade, considerando que Bruno de Carvalho cometeu três infrações de lesão de honra e reputação, enquanto Octávio Machado o fez em duas ocasiões.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon