Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Benfica fez um envergonhado desmentido de 57 palavras em que nada desmente"

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/06/2017 Hugo Monteiro
© Pedro Rocha/Global Imagens

Alegado "esquema de corrupção" denunciado quarta-feira pelo FC Porto e já desmentido pelo Benfica voltou a ser abordado pelos dragões.

O alegado "esquema de corrupção" denunciado terça-feira pelo FC Porto e já desmentido pelo Benfica voltou a ser abordado pelos dragões. Desta vez, o clube azul e branco critica a forma como as águias negaram o envolvimento e o silêncio de Pedro Guerra e Adão Mendes.

"O Ministério Público informou ontem ter aberto um inquérito ao esquema de corrupção de árbitros de futebol denunciado anteontem no Porto Canal. O Benfica fez um envergonhado desmentido de 57 palavras em que nada desmente, enquanto Adão Mendes e Pedro Guerra se mantêm num esclarecedor silêncio", escreveu o FC Porto na newsletter "Dragões Diário".

Francisco J. Marques, diretor de comunicação e informação, usou, recorde-se, o espaço no programa "Universo Porto da Bancada", do Porto Canal, para revelar o teor de umas supostas mensagens entre um ex-árbitro da AF Braga, Adão Mendes, e o diretor de conteúdos da Benfica TV, Pedro Guerra, durante a temporada de 2013/14, na qual o primeiro explicaria o funcionamento deste esquema, que envolveria também Luís Filipe Vieira que, segundo o dirigente portista, é denominado nesta história como "primeiro-ministro", aparecendo os árbitros designados como "padres".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon