Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Benfica tem quatro guarda-redes, mas ainda há espaço para mais

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/07/2017 Alcides Freire

Equipa técnica pretende um homem para rivalizar com Júlio César. Bruno Varela, Paulo Lopes e André Moreira não são considerados atletas com o nível de Ederson, que saiu para o Manchester City.

© Reprodução/SL Benfica

O Benfica continua no mercado à espreita de uma boa oportunidade de negócio para reforçar a sua baliza. Neste momento, três guarda-redes têm vínculo com o clube, Júlio César, Bruno Varela e Paulo Lopes e há um quarto elemento que já se treina no Seixal mas ainda não está ligado contratualmente às águias: André Moreira. Benfica e At. Madrid continuam a conversar, tentando superar questões burocráticas para que este se fixe na Luz.

Este grupo parece, no entanto, não satisfazer na plenitude o corpo técnico liderado por Rui Vitória, pelo que no plantel encarnado há espaço para mais um homem que possa rivalizar seriamente com Júlio César pela titularidade - brasileiro parte em vantagem na corrida pela liderança da baliza.

Ederson saiu para o Manchester City e na SAD muitos consideram que não foi garantida a sucessão, sobretudo porque Júlio César vai fazer 38 anos em setembro e desde que chegou ao Benfica tem apresentado alguns problemas físicos. Em sentido inverso, Bruno Varela - titular da seleção de sub-21 - é considerado inexperiente para estar à frente da baliza de um grande. Paulo Lopes, já se sabe, nunca fez parte das contas no que à titularidade diz respeito. E, por último, tal como Varela, André Moreira também é visto por alguns responsáveis do Benfica como um elemento pouco consistente para defender a baliza, aliás, os mesmos consideram haver falta de coerência quando se vai repescar o titular da Seleção de sub-21 (Bruno Varela) e, ao mesmo tempo, o terceiro ou quarto homem da baliza desse mesmo escalão (André Moreira).

Nesse contexto, os encarnados tentam encontrar uma solução no mercado que obrigue Júlio César a estar em permanente alerta ou até mesmo possa assumir a titularidade, como se verificou com Ederson que fez o percurso de trás para a frente, surpreendendo o internacional brasileiro. Certo é que há ainda um clima de desconfiança em relação à baliza encarnada, que os dirigentes e Rui Vitória querem contrariar o mais rapidamente possível.

Reajustamentos no atual quadro

Pensando já na contratação de um guarda-redes, o Benfica irá avançar para a reformulação do atual quadro. Paulo Lopes será pressionado a aceitar o convite que lhe foi endereçado para coordenador técnico dos guarda-redes em todos os escalões e é crível que Bruno Varela ou até mesmo André Moreira, este dependendo da sua situação contratual com o clube, possam rodar noutro emblema, ganhando rotinas para voltarem mais tarde ao Benfica e com outra experiência.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon