Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Berlim convoca embaixador da Turquia para pedir libertação de ativista alemão

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/07/2017 Administrator

O ministério alemão dos Negócios Estrangeiros convocou hoje o embaixador da Turquia em Berlim para manifestar a indignação do Governo de Berlim pela prisão de um militante alemão dos direitos humanos e pedir a sua libertação imediata.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Ministério, Martin Schäfer, explicou que o chefe da diplomacia alemã, Sigmar Gabriel, decidiu interromper as férias para manter na manhã de quinta-feira consultas urgentes sobre "as ações e medidas a tomar devido à intensificação dramática das ações [de repressão] turcas".

"É necessário que o Governo turco compreenda de imediato e diretamente a indignação e incompreensão do Governo alemão e as nossas exigências muito claras em relação ao caso de Peter Steudtner, e desta vez sem derivações diplomáticas", declarou o porta-voz do ministério alemão dos Negócios Estrangeiros.

O governo alemão "apelou à libertação imediata de Peter Steudner, que não foi autorizado a receber ajuda consular. O representante do governo turco indicou que a mensagem será imediatamente transmitida", precisa um comunicado do ministério.

Dez militantes dos direitos humanos, incluindo a diretora da Amnistia Internacional para a Turquia, Idil Eser, e dois formadores estrangeiros, o alemão Peter Steudtner e um sueco, foram detidos em 05 de julho, no decurso de um curso de formação sobre segurança informática e segurança de dados que decorria na ilha de Büyükada, ao largo de Istambul.

Na terça-feira, um tribunal turco decidiu manter na prisão seis dos indiciados, acusados de terem "cometido um crime em nome de uma organização terrorista".

A diplomacia alemã considerou as acusações "absurdas".

Segundo as autoridades de Berlim, nove alemães, incluindo quatro turco-alemães, estão detidos na Turquia desde o golpe falhado contra o Presidente Erdogan em 15 de julho de 2016.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon