Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bilal despedido vai ser alvo de ação na FIFA

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/03/2017 Alcides Freire

O extremo, após um processo disciplinar instaurado pela SAD encarnada, viu o seu contrato, válido até 2020, ser anulado, com as águias a alegarem justa causa.

Bilal Ould-Chikh já não é jogador do Benfica após o clube da Luz, alegando justa causa, ter rescindido o contrato com o holandês, na sequência de um processo disciplinar que moveu ao extremo. Ao que O JOGO apurou, a SAD vai ainda agir judicialmente na FIFA contra o jovem de 19 anos, exigindo-lhe uma indemnização. Bilal chegou à Luz em 2015 a troco de 1,5 Meuro, pagos ao Twente, mas destacou-se apenas pelos incidentes negativos que, segundo as águias, colocaram em causa o seu profissionalismo.

© Álvaro Isidoro/Global Imagens

citacaoEm 2015, o extremo protagonizou uma perseguição policial a 230 quilómetros por hora, ao volante de um carro que arderia misteriosamente um ano depois

Ontem, o Utrecht, do primeiro escalão holandês, revelou que Bilal está a treinar com o seu plantel. Para trás, fica uma série de problemas. Em novembro de 2015, por exemplo, foi expulso de um estágio da seleção sub-19 da Holanda por ter sido apanhado com mulheres no quarto, razão pela qual o Benfica lhe moveu um primeiro processo. Isso não o impediu de, poucos dias depois em Bordéus, ter sido alvo de uma perseguição policial a 230 km/hora, acabando sem carta e com o carro apreendido. O mesmo que, em agosto de 2016, se incendiou. Três meses depois, Bilal seria associado a uma rixa numa discoteca. Após 13 jogos na equipa B e um mar de problemas, o Benfica despediu-o.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon