Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bispos angolanos exortam Governo a "não temer contraditório" e "lucidez dos cidadãos"

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/10/2017 Administrator

A Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) exortou hoje o novo Governo angolano a "não ter medo da informação, do contraditório e da lucidez dos cidadãos", augurando que o atual ambiente político seja "sinónimo de pluralidade informativa".

O posicionamento foi transmitido em Luanda, pelo vice-presidente e porta-voz da CEAST, José Manuel Imbamba, durante a conferência de imprensa de encerramento da segunda assembleia ordinária dos bispos angolanos, exortando à "redução das assimetrias informativas" no novo ciclo político que resulta da eleição, em agosto, de João Lourenço como novo chefe de Estado.

"Por isso, é nosso augúrio que o novo Governo se muna de facto dessa nova mentalidade, a não ter medo da informação, a não ter medo do contraditório, a não ter medo da lucidez dos seus cidadãos", disse.

Para o também arcebispo de Saurimo, na Lunda Sul, a população espera deste novo ciclo político do país, nomeadamente, "maior abertura" e "que a informação seja plural".

"Sempre à altura para que se evitem aquelas situações que fazem com que muitos cidadãos vivam aquém da sua real cidadania. E isto passa exatamente pela qualidade da informação, pela qualidade da atualização que querem e que devem ter à sua disposição", acrescentou.

Ainda de acordo com o porta-voz da CEAST, "a consciência cívica está a crescer", assim como a participação, que "está a evoluir", pelo que "é preciso que os políticos também estejam a altura da evolução da própria sociedade".

"E isso, não se faz com ignorantes, não se faz com pessoas que ainda vivem nas trevas", apontou.

Questionado sobre as expectativas dos bispos em torno da expansão do sinal da Rádio Ecclesia - Emissora Católica de Angola -, afeta à CEAST e apenas circunscrito a Luanda, processo paralisado há vários anos, o porta-voz da instituição garantiu trabalho com as entidades, esperando uma evolução face ao novo quadro da nova governação do país.

"É um desafio que fica e nós como Conferência vamos continuar a trabalhar sempre no diálogo, no respeito da lei, no respeito das autoridades. Queremos que de facto a Rádio Ecclesia se faça sentir em todo o país", sublinhou.

Na posição final da reunião, os bispos católicos apelaram ainda aos políticos e a todos os cidadãos a trabalharem para fomentar e cultivar a educação permanente para a democracia, a cidadania, a paz, o convívio plural e a tolerância.

Os bispos da CEAST congratularam-se ainda com o propósito do novo Presidente da República, João Lourenço, de trabalhar para o bem de todos os angolanos, diminuindo as assimetrias existentes a diversos níveis.

"Outrossim, encorajam os novos governantes a comprometerem-se com a dignidade da pessoa humana e com a promoção do bem comum e da justiça social", concluiu o bispo José Manuel Imbamba.

A segunda Assembleia Ordinária dos bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé decorreu em Luanda de 11 a 18 de outubro e refletiu ainda sobre a vida interna da Igreja Católica no país, tendo aprovado, entre outras medidas, a criação de Tribunais Eclesiásticos Diocesanos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon