Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bissau assiste sem sorrisos e com algumas lágrimas ao adeus da seleção na CAN2017

Logótipo de LusaLusa 22/01/2017 Luís Miguel Fonseca
GAVIN BARKER/BACKPAGE © EPA / GAVIN BARKER GAVIN BARKER/BACKPAGE

Bissau, 22 jan (Lusa) - Sem sorrisos e com algumas lágrimas, dezenas de milhares de pessoas assistiram no Bairro da Ajuda, em Bissau, em ecrã gigante, à derrota que atirou a seleção guineense para fora da Taça das Nações Africanas de futebol (CAN2017).

A desilusão começou a ganhar forma no rosto dos adeptos com um autogolo da Guiné-Bissau, aos 11 minutos, já que os "Djurtus" tinham de ganhar ao Burkina Faso para seguir para os quartos de final da prova, a decorrer no Gabão.

Mesmo assim, ainda houve esperança e histeria durante os últimos 15 minutos da primeira parte.

Uma sucessão de cantos a favor da Guiné-Bissau, que atacava sem dar descanso ao adversário, animou os adeptos.

Foram os últimos momentos de festa em redor dos ecrãs que iluminavam a noite, porque os golos da Guiné-Bissau nunca apareceram.

O público ainda voltava para perto das imagens, após o intervalo, quando a formação do Burkina Faso marcou o 2-0, que sentenciou o jogo, aos 57 minutos.

“Faltou experiência e preparação física", referiu no final da partida Hossel Gomes, um dos adeptos que considerou ter havido sempre uma quebra de rendimento da Guiné-Bissau nas segundas partes das três partidas que jogou na fase de grupos.

Mesmo assim, só o facto de ter chegado à fase final da prova - a primeira competição internacional para a qual a seleção conseguiu apurar-se - já foi um grande feito, pelo que o país “deve receber a equipa com pompa e circunstância”, assinalou Aguinaldo Ampa, jornalista guineense.

Virgínia Delgado, uma das adeptas que seguiu o jogo decisivo quase colada ao ecrã, não conseguiu conter as lágrimas e chorou no final.

O resultado não foi o esperado, mas esta primeira presença na CAN não deixa de ser motivo de orgulho: "A seleção da Guiné-Bissau está de parabéns".

A Guiné-Bissau era o único representante lusófono na CAN2017.

LFO // PFO

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon