Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bolsa de Solidariedade Social já beneficiou em quase um mês mais de mil angolanos

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/09/2017 Administrator

A Bolsa de Solidariedade Social beneficiou já, em quase um mês, mais de mil pessoas necessitadas, nas províncias de Luanda e Benguela, informou hoje o Ministério da Assistência e Reinserção Social (MINARS) de Angola.

Segundo a diretora nacional para a Ação Social do MINARS, Teresa Kivienguele, a prioridade tem sido para os centros de acolhimento de crianças e idosos, tendo já beneficiado 580 pessoas em Luanda e 600 em Benguela, perfazendo o total em ambas de 12,4 toneladas de bem alimentares e não alimentares, nomeadamente roupa, calçado, material escolar e de construção, medicamentos, entre outros.

"As entregas de bens doados começaram no dia 31 de agosto, Dia Internacional da Solidariedade Social, prosseguiram no dia seguinte e nesta segunda-feira aconteceu na Associação de Apoio aos Idosos e na Comunidade do Kalawenda, em Luanda", informou a responsável em declarações à Lusa.

O Ministério da Assistência e Reinserção Social de Angola, em parceria com a igreja católica, lançou a 09 de agosto, em Luanda, o primeiro Banco de Bens Doados, no quadro da Bolsa de Solidariedade Social.

Para hoje, está previsto o levantamento dos bens pelos beneficiários, no Banco de Bens Doados, em funcionamento no espaço da Cáritas de Angola, que tem registado uma "doação considerável de bens por parte de pessoas singulares e coletivas".

"As ações a nível da bolsa têm decorrido normalmente e vamos, aos poucos, acudindo as pessoas que mais necessitam, claro, também, esperando que os nossos parceiros continuem a nos ajudar nesse sentido", observou.

A Bolsa de Solidariedade Social foi lançada a 18 de julho e na ocasião o vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, pediu o apoio da sociedade angolana às populações mais carenciadas e em situação de vulnerabilidade.

Esta bolsa resulta da iniciativa do Governo angolano, em parceria com as organizações da sociedade civil, que se propõem a acudir as camadas da população mais necessitadas, sobretudo em tempo de crise como o que o país vive.

Estimular, impulsionar e reforçar as ações de solidariedade, apoiar a criação de bancos de alimentos em todas as províncias, de cozinhas voluntárias e promover um movimento de voluntariado em Angola, são alguns dos objetivos da Bolsa de Solidariedade Social.

Aquando do lançamento da Bolsa de Solidariedade Social, em julho, o Ministro da Assistência e Reinserção Social de Angola, Gonçalves Muandumba, afirmou que o projeto vai permitir coordenar as ajudas sociais, alargar o número de beneficiados, distribuir com transparência e combater o desperdício.

As doações para esta bolsa poderão ser feitas em dinheiro e bens, além de trabalho voluntário.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon