Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Braga acusa Liga de falta de sensibilidade e fala em decisão "incompreensível"

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/09/2017 Hugo M. Monteiro
© Gonçalo Delgado/Global Imagens

Minhotos emitiram um comunicado onde surgem várias críticas dirigidas à Liga relativamente à marcação do jogo frente ao Estoril.

O Braga emitiu esta quinta-feira um comunicado onde acusa a Liga de "falta de sensibilidade" após a marcação do jogo frente ao Estoril, agendado para as 17h15 do dia 1 de outubro.

No comunicado, os minhotos referem que a Liga não salvaguarda o prazo de "mais de 72 horas entre o final da jornada europeia e o arranque do respetivo jogo, referente à 8.ª jornada", uma vez que o Braga entra em campo às 20h05 de quinta-feira, 28 de setembro, em jogo da fase de grupos da Liga Europa.

"O SC Braga regista positivamente que a Liga Portugal tenha tido o cuidado de garantir, noutras jornadas, horários condizentes com a presença de equipas portuguesas nas provas internacionais, como também agora acontece com outro competidor na UEFA Europa League, no caso o Vitória SC", pode ler-se. "O SC Braga aplaude esse cuidado, que zela pelo superior interesse do futebol nacional, mas repudia que tal princípio não tenha sido aplicado de forma generalizada".

As eleições autárquicas, marcadas para o próximo dia 1 de outubro, "obrigaram" a um atraso no pontapé de saída de todos os jogos da jornada, incluindo o clássico entre Sporting e FC Porto, originalmente marcado para as 18h00. Enquanto três dos jogos do dia passaram para depois das 19h00, altura do fecho das urnas, o jogo entre Braga e Estoril tem arranque marcado para as 17h15. "O SC Braga regista também que o seu jogo seja o único cujo horário colide com o período em que decorre o ato eleitoral", refere o clube.

"O SC Braga exige que a Liga Portugal imponha a sua superior autoridade na defesa destes princípios, sem cedência a pressões ou a interesses que, sendo naturais, possam colidir com a justa aplicação de um princípio basilar que é o de garantir aos representantes do futebol português na Europa condições para a obtenção de resultados que dignifiquem e elevem o nosso futebol e o nosso País. A Liga Portugal tem a obrigação de ser coerente, respeitando os valores que apregoa, tratando os seus associados por igual e assumindo como prioridade os interesses destes, nomeadamente quando colidam com interesses de outros operadores associados à atividade futebol", rematou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon