Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Braga: O que falhou, afinal, no negócio de Makaridze?

Logótipo de O Jogo O Jogo 29/06/2017 Alcides Freire
Makaridze © Fornecido por O jogo Makaridze

No momento de assinar contrato, guarda-redes surpreendeu António Salvador e o acordo acabou desfeito

Estava "tudo acertado" até que Makaridze, quando se preparava para assinar contrato, exigiu quase o dobro do salário que tinha inicialmente acordado com o Braga. O guarda-redes reuniu-se, ao início da tarde, nas instalações da SAD, com António Salvador e o seu empresário, Pedro Mendes, que também foi apanhado de surpresa com as exigências de última hora feitas pelo guarda-redes georgiano. O Braga já tinha chegado a acordo com o Moreirense (por uma verba a rondar os 400 mil euros), também tinha tudo acertado com os representantes do jogador (salário e duração do vínculo), mas o pedido de reformulação de contrato feito por Makaridze acabou por levar ao cancelamento do negócio, até porque os novos valores propostos foram considerados "incomportáveis" por António Salvador, além de estarem desfasados do real valor de mercado do jogador.

Makaridze ainda treinou de manhã em Moreira de Cónegos, chegou mesmo a comentar com alguns colegas de equipa que se iria transferir para o Braga, pelo que o volte-face que se seguiu apanhou todos de surpresa, inclusivamente Vítor Magalhães, presidente do Moreirense. Segundo foi possível apurar, o Braga não admite reativar as negociações por Makaridze, nem sequer pelos valores acordados inicialmente, por considerar pouco normal a atitude do jogador numa reunião que deveria servir, apenas, para consumar a assinatura do contrato.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon