Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bragança ganha segundo núcleo de apoio à vítima de violência doméstica

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/07/2017 Administrator

A região de Bragança tem desde hoje um segundo núcleo de apoio às vítimas de violência doméstica, com a abertura no sul do distrito de um serviço de atendimento e acompanhamento.

O núcleo resulta de uma parceria entre o Governo e os municípios de Alfândega da Fé e de Torre de Moncorvo, ficando como entidade responsável a Liga dos Amigos do Centro de Saúde de Alfândega da Fé e a sede em Torre de Moncorvo.

A secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Catarina Marcelino, presidiu hoje, em Torre de Moncorvo, à assinatura do protocolo que operacionaliza este apoio inserido numa Estratégia de Combate à Violência Doméstica.

A capital de distrito, Bragança, foi a primeira no país a ter um núcleo criado, há 12 anos, no extinto Governo Civil e que continua a funcionar na Associação de Socorros Mútuos dos Artistas de Bragança (ASMAB), dando resposta a toda a região.

Segundo a secretária de Estado, constatou-se que "não é possível com três ou quatro técnicos corresponder a uma área geográfica do tamanho do território de Bragança".

"São distâncias muito grandes", observou.

Para melhorar a resposta, o Governo está apostado, em parceria com os municípios, em duplicar, em todos os distritos do interior do país, os núcleos existentes.

No distrito de Bragança "as coisas não foram simples", como admitiu a governante, e só dois municípios do sul da região mostraram vontade de avançar, Alfândega da Fé e Torre de Moncorvo.

A secretaria de Estado espera "em breve poder ter outros municípios a aderiram a este núcleo", ressalvando que as populações dos restantes concelhos do sul da região têm acompanhamento assegurado pelo serviço que já existe em Bragança.

O novo núcleo vai funcionar com dois psicólogos, um jurista e apoio administrativo.

Estes serviços prestam apoio a vítima mesmo antes de apresentarem queixa nas autoridades.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon