Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Brasil define em setembro modelo de privatização da Eletrobras

Logótipo de O Jogo O Jogo 12/09/2017 Administrator

O Governo do Brasil informou hoje que irá definir em setembro o modelo que será utilizado na privatização da Eletrobras, a maior companhia do setor elétrico do país.

"Antes do final do mês será anunciado o modelo", disse o ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, em conferência por telefone com jornalistas.

Os planos de privatização da Eletrobras baseiam-se na venda de um pacote importante de ações da empresa.

Atualmente, o Estado controla cerca de 60% das ações da companhia, mas segundo Fernando Coelho Filho, a participação pública deverá ser reduzida para menos de 50% das ações.

O governante ressaltou que não está prevista a participação direta do Governo na nova administração, mas essa alternativa será reavaliada no caso de a oferta de ações não reduzir o controle estatal para menos de 50% do capital social da Eletrobras.

Fernando Coelho Filho também confirmou que a privatização da Eletrobras excluirá a importante central hidroelétrica de Itaipú, que o Brasil partilha com o Paraguai, e as duas centrais nucleares operadas pela companhia na cidade de Angra dos Reis, localizada no litoral do Rio de Janeiro.

No primeiro caso, adiantou, a venda não será realizada porque a hidroelétrica é fruto de acordos bilaterais do Brasil com o Paraguai e não seria possível privatizá-la sem um acordo prévio com esse país.

Em relação às centrais nucleares, Fernando Coelho Filho esclareceu que a Constituição brasileira reserva ao Estado o controlo de todas as iniciativas relacionadas com a energia atómica.

De acordo com o chefe da pasta de Minas e Energia, o processo de redução da participação pública na Eletrobras será concluído até meados de 2018.

Fernando Coelho Filho realçou que, apesar da instabilidade causada pelos constantes escândalos de corrupção no país sul-americano, a recuperação da economia renovou o interesse do setor privado nacional e estrangeiro em investir.

Esse interesse, de acordo com o ministro, já se manifestou nas propostas para campos petrolíferos, cuja venda está programada ocorrer entre o final deste mês e outubro, e que devem atrair cerca de 40 empresas.

O representante do Governo brasileiro declarou ainda que o interesse dos investidores recuperou depois que a economia brasileira ter mostrado sinais positivos neste ano, registando um crescimento de 1% no primeiro trimestre e de 0,2 % no segundo trimestre, dados que colocaram fim à recessão do ponto de vista técnico.

Para sair de uma grave crise económica, o Brasil anunciou no mês passado um vasto plano de privatizações, que além da Eletrobras inclui estradas, aeroportos, terminais portuários, entre muitos outros ativos com os quais o país pretende arrecadar cerca de 44 mil milhões de reais (11,8 mil milhões de euros).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon