Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Brasil, Moçambique e Portugal na Exposição de Franquia de Macau

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/07/2017 Administrator

Brasil, Moçambique e Portugal vão estar presentes na nona edição da Exposição de Franquia de Macau (MFE), que decorre de sexta-feira a domingo, na Taipa, anunciou hoje a organização.

"Três empresas do Brasil, Moçambique e seis de Portugal" vão estar presentes, sinal do crescente interesse dos países lusófonos em Macau, que está a desenvolver o seu papel de plataforma na promoção e diversificação económica com os Países de Língua Portuguesa, sublinhou Irene Lau, do Instituto de Promoção do Comércio e Investimento de Macau (IPIM).

Em 2015, apenas uma empresa [lusófona] participou nesta feira, disse.

"Em 2016, contámos com a participação do Brasil, Timor-Leste e Moçambique. Em 2017 temos três [empresas] do Brasil, temos ainda Moçambique e seis empresas portuguesas. Há cada vez mais países lusófonos a juntarem-se a nós nestes eventos", sublinhou.

Além da presença lusófona, há mais de 155 expositores da China continental, Japão, Coreia do Sul, Malásia, Singapura, Reino Unido, Vietname, Taiwan e Hong Kong. A Finlândia participa pela primeira vez, acrescentou.

Em mais de seis mil metros quadrados e sob o lema "Expansão contínua de marcas - Novas oportunidades de negócio à vista", a Exposição de Franquia de Macau vai apresentar também fóruns, bolsas de contactos e seminários, além de um dia "Startup Launchpad" de partilha de experiências entre casos de êxito e interessados em criar ou desenvolver negócios.

Entre empresas de moda e vestuário, educação, lazer e de apoio ao desenvolvimento empresarial, consultoria e serviços financeiros, a restauração vai estar em destaque, nesta edição, com a "Avenida Gourmet", que vai promover produtos alimentares de Macau na procura de novos mercados.

Ao mesmo tempo, e pelo segundo ano consecutivo, vai realizar-se a feira dos produtos da província de Guangdong e Macau (GMBPF), o que permite "aumentar a eficácia das bolsas de contactos e criar oportunidades para as empresas do interior da China, Macau e do exterior, disse a responsável do IPIM.

Esta feira vai apresentar uma zona de 30 'stands' de Myanmar (antiga Birmânia) e 14 da Indonésia, com produtos típicos de cada país.

O fórum sobre cooperação económica no seio da grande baía Guangdong-Hong Kong-Macau vai debater a função de plataforma de Macau para a cooperação entre a China e os países de língua portuguesa e a sua articulação com o projeto de investimentos em infraestruturas, liderado por Pequim, "Uma Faixa, Uma Rota".

O recinto da GMBPF, com uma área de nove mil metros quadrados e 345 expositores, 107 de Macau e 194 da província de Guangdong, vai contar ainda com um "Expresso de Iguarias de Guangdong e Macau", focado na culinária dos dois territórios, indicou Irene Lau.

No ano passado, as trocas comerciais entre Macau e Guangdong cifraram-se em cerca de 1,7 mil milhões de euros, afirmou Huang Yongguang, do departamento de Comércio da província de Guangdong.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon