Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Brexit: Pedido de passaportes da Irlanda por britânicos aumentou "de forma significativa"

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/07/2017 Administrator

O pedido de passaportes irlandeses por parte de cidadãos britânicos aumentou "de forma significativa" durante o primeiro semestre deste ano, em parte devido à saída do Reino Unido da União Europeia, disse o Governo da República da Irlanda.

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Irlanda, entre janeiro e junho foram emitidos mais de 500 mil passaportes, o que representa uma subida de 10% face aos primeiros seis meses do ano passado, mas o aumento dos pedidos por parte de cidadãos britânicos foi bastante superior.

Os pedidos dos cidadãos da Irlanda do Norte aumentaram no primeiro semestre para 53.547, o que representa uma subida de 43% face aos primeiros seis meses do ano passado, e para o resto do Reino Unido, que inclui a Inglaterra, a Escócia e Gales, o total de pedidos subiu para 45.307, o que revela um aumento de 64% face ao mesmo período do ano anterior.

O acordo de paz da Sexta-feira Santa, de 1998, que pôs fim ao conflito na Irlanda do Norte, prevê que os cidadãos locais tenham acesso automático aos passaportes da República da Irlanda e do Reino Unido, lembra a agência de notícias espanhola, Efe.

Os ingleses, escoceses e galeses podem optar por ter dupla nacionalidade se demonstrarem que os seus pais ou avós nasceram na República da Irlanda.

Para fazer face a este aumento da procura, o Governo criou um processo de solicitação 'online', que já representa 17% das renovações ou pedidos de passaportes neste âmbito, disse o ministro irlandês dos Negócios Estrangeiros, Simon Coveney.

Na sequência do referendo a 23 de junho de 2016, o Reino Unido invocou, a 29 de março deste ano, o artigo 50.º do Tratado de Lisboa que permite a saída de um Estado-membro do bloco europeu.

O 'divórcio' só acontecerá depois de pelo menos dois anos de negociação com os outros 27 Estados-membros da UE.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon