Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Briggite Macron quer "funções públicas" como muilher do presidente francês

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/08/2017 Administrator

Brigitte Macron pretende assumir "funções públicas" determinadas por uma "carta de transparência" e com indicação "das missões e dos meios" ao dispor, disse a mulher do presidente francês em entrevista à revista Elle.

"Como todas aquelas que me antecederam, vou assumir o meu papel público, mas os franceses vão ser informados dos meios que tenho à disposição", disse Brigitte Macron à revista francesa Elle que já publicou excertos da entrevista na edição 'on-line'.

"No 'site' do Eliseu (sede da presidência francesa) vão ser anunciados os meus encontros e os meus compromissos para que os franceses saibam exatamente o que ando a fazer", afirmou a mulher do chefe de Estado.

"O que é importante é que seja tudo claro", sublinhou Brigitte Macron na primeira entrevista após as presidenciais franceses do passado dia 07 de maio.

Atualmente não se encontra disponível na página oficial do Eliseu qualquer informação sobre as ações da mulher do presidente francês nem os meios de que dispõe.

A criação do estatuto oficial de "primeira dama" foi um assunto considerado por Emmanuel Macron apesar de uma petição no sentido contrário e que reuniu 300 mil assinaturas em três semanas, em França.

Sobre a polémica, Brigitte Macron refere que o estatuto de "primeira dama" não vai determinar-se através de uma lei mas sim com "uma carta de transparência" que além de indicar que o cargo não é remunerado prevê a divulgação de toda a informação sobre as ações que pretende realizar.

A futura "carta de transparência", segundo fontes da France Presse, deve confirmar a forma de agir de Brigitte Macron que dispõe de três colaboradores diretos: dois conselheiros presidenciais destacados e uma secretária.

De acordo com as fontes do Eliseu, a antiga professora pode vir a envolver-se em causas em que "o fio condutor" pode vir a ser a educação e as questões ligadas às pessoas com deficiências.

Questionada pela revista Elle sobre a diferença de idade em relação ao marido (24 anos), Brigite Macron responde com "ironia.

"O único defeito de Emmanuel é ser mais novo do que eu", diz.

A entrevista que foi realizada no passado dia 27 de julho é publicada na semana em que o casal Macron se encontra de férias em Marselha e numa altura em que atravessa uma baixa de popularidade, segundo as sondagens encomendadas no final dos primeiros 100 dias de mandato.

De acordo com os dados do instituto Harris Interactive, publicados na quarta-feira, "apenas 37 por cento dos franceses estão satisfeitos" com a atuação de Emmanuel Macron como presidente, enquanto que 62 por cento se declararam insatisfeitos com o novo chefe de Estado francês.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon