Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bruno de Carvalho "amarra" trio de capitães do Sporting

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/06/2017 Alcides Freire

© Ivan Del Val/Global Imagens

Administração leonina vai tentar suportar as pressões de mercado até ao limite por forma que o valioso núcleo ajude a equipa a garantir meta prioritária, que se disputa próximo do fecho da janela.

Já se sabia e foi O JOGO que o informou em primeira mão: os capitães do Sporting Adrien, William Carvalho e Rui Patrício pretendem deixar o emblema pelo qual se formaram e se revelaram no presente mercado de verão e candidatos associados às respetivas contratações não faltam. Todavia, a SAD leonina tem aqui uma agenda particular, sem prejuízo das transferências pretendidas pelos jogadores. Informações apuradas pelo nosso jornal apontam para um desejo expresso do presidente Bruno de Carvalho e Jorge Jesus: aguentar ao máximo o valioso e experimentado trio de internacionais portugueses de modo que possam disputar o play-off de acesso à Champions e ajudar a equipa a garantir um desiderato primordial sobre todos os níveis.

A entrada na liga milionária e os proventos desportivos e financeiros daí resultantes são encarados como metas prioritárias para os responsáveis da administração verde e branca, pelo que os planos passam por suportar as vicissitudes de mercado até poucas semanas do seu encerramento - o Sporting irá defrontar um adversário que ainda não conhece para cruzar a porta de entrada para a fase de grupos da Champions nos dias 15/16 e 22/23 de agosto.

Adrien, William e Patrício meteram um pé fora de Alvalade, mas a SAD só aceita que saiam após jogarem o play-off de acesso à liga milionária

Contudo, aliada à vontade dos atletas campeões europeus, que no momento defendem as cores nacionais na Taça das Confederações (ler páginas 18 a 21 nesta edição), há uma imprevisível lei de mercado a atender, a mesma que é suscetível de interferir na planificação dos verdes e brancos. O trio há muito que é seguido por emblemas de ligas dotadas de maior porte financeiro (ver informação ao lado) e as possibilidades de encaixe financeiro não são um fator despiciendo a uma sociedade anónima verde e branca que se propõe realizar 70 milhões de euros em volume de vendas neste verão.

Com o decorrer das semanas e o índice de transferências a intensificar-se, importará saber qual o estado de espírito de Adrien, William e Patrício assim que terminar a aventura pela formação das Cinco Quinas na Rússia e regressarem a solo nacional na expectativa de verem as suas carreiras acauteladas no futuro. Mesmo ciente de todas estas eventualidades, o leão não quer perder o comboio da Champions e Bruno só antevê abrir mão de um ou mais atletas do leque de capitães, já com o bilhete de entrada na Liga dos Campeões na algibeira.

Cláusulas de rescisão do trio, somadas, dão 130 milhões de euros

Adrien foi o que esteve mais perto de abandonar Alvalade

Entre o lote de capitães leoninos, foi Adrien aquele que esteve mais próximo de uma transferência no passado recente, concretamente no último defeso. Então, o médio foi alvo de uma proposta por parte dos ingleses do Leicester City, a qual ascendeu aos 30 milhões de euros. Adrien chegou mesmo a assumir a O JOGO que era o momento de se transferir para outro clube, algo que não aconteceu devido às exigências do Sporting, que pretendia uma verba próxima dos 35 milhões de euros.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon