Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bruno Varela atrasa reforço da baliza do Benfica

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/08/2017 Alcides Freire

O desempenho e a resposta positiva do jovem na baliza encarnada deram mais margem de manobra a Vieira para negociar um guarda-redes.

Até 31 de agosto, dia de fecho do mercado, o Benfica tenciona contratar um guarda-redes para competir com Júlio César e Bruno Varela, mas, ao que O JOGO apurou, pressa é algo que o presidente Luís Filipe Vieira deixou de ter. Isto porque o desempenho de Varela, guardião formado nos encarnados e resgatado ao Vitória de Setúbal no defeso, tem agradado, possibilitando à SAD estar no mercado sem a urgência de contratar, ou seja, com maior margem temporal e negocial para encontrar um reforço, de qualidade e baixo custo na transação, que reúna os requisitos para a baliza.

© Mário Cruz/LUSA

Tanto na Supertaça, contra o Vitória de Guimarães, como nas duas jornadas iniciais do campeonato, frente a Braga e Chaves, Varela colmatou a indisponibilidade física de Júlio César sem comprometer e, até, dando provas de segurança entre os postes. Apesar disso, Vieira não desistiu de dar a Rui Vitória mais um guardião e a lista de potenciais alvos do Benfica é variada. Uma delas agrada particularmente, dado preencher os requisitos traçados: Mile Svilar. O potencial do jovem belga é reconhecido na Luz desde os seus 14 anos e o conflito que este tem com o Anderlecht é seguido pelos encarnados com atenção. O clube belga não lhe dá a desejada titularidade e Svilar pondera rescindir unilateralmente, como O JOGO já explicou. Com um salário bruto anual de 600 mil euros, e perspetivando-se uma saída à força do clube de Bruxelas, o que poderia reduzir substancialmente o seu custo [o Anderlecht exigia pelo menos cinco milhões de euros], Svilar encaixa no perfil desejado. Apesar disso, os belgas prometem não facilitar a vida ao jogador, como assegura a O JOGO Herman van Holsbeeck, diretor desportivo. "Saída? Depende do dinheiro e de algum clube pagar o que queremos. Pretendemos vários milhões de euros para negociá-lo e será muito difícil para qualquer clube levá-lo", disse.

citacaoAgora com menor urgência no mercado, as águias tentam o melhor entre as opções ponderadas. Vieira quer um guardião de qualidade que não implique custos elevados e Svilar é dos mais pretendidos

Outros nomes apontados como estando no horizonte das águias são Zoet (PSV), Cillessen (Barcelona), Dragowski (Fiorentina) ou Hrádecky (Eintracht). Este último, que estava no topo das preferências do treinador Rui Vitória, já se encontrará fora do tabuleiro: "Não há hipóteses de ir para Portugal", assegurou ontem o empresário Henrik Risom a O JOGO.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon