Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Câmara de Famalicão comparticipa em 1,5ME duplicação da Nacional 14

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/07/2017 Administrator

A Câmara de Vila Nova de Famalicão vai comparticipar em 1,5 milhões de euros a obra de duplicação da Estrada Nacional 14, ficando ainda responsável pela "manutenção e requalificação" dos arranjos paisagísticos incluídos na intervenção, anunciou hoje aquela autarquia.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a autarquia famalicense salienta que "não é comum uma autarquia canalizar verba do seu orçamento para uma obra que é responsabilidade do Estado, numa infraestrutura que é, e será, do Estado" mas explica que "o interesse público assim o exige e as finanças da câmara o permitem".

Segundo o texto, autarquia e Governo, através das Infraestruturas de Portugal, chegaram hoje a acordo para uma comparticipação municipal no troço entre a rotunda sul da Variante Nascente à cidade e o lugar de Vitória, em Calendário (Rotunda da Grocenter), e beneficiação do atual troço entre esta última e Santana, em Ribeirão, estando assim criadas "todas as condições" para o lançamento imediato do concurso público da empreitada por parte da Administração Central.

"Com o acordo estabelecido, a autarquia famalicense comparticipa com perto de um milhão de euros, 500 mil euros para a obra e sensivelmente outro tanto para os encargos com a implantação e reforço da iluminação pública na via e com a elaboração dos projeto e respetivo estudo de impacto ambiental, estes últimos já executados. A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão fica ainda com a responsabilidade pela conservação, manutenção e requalificação dos arranjos paisagísticos incluídos na intervenção", lê-se no texto.

No comunicado, o presidente da autarquia destaca o "esforço em prol dos cidadãos, das empresas e da competitividade do território" que os cofres do município vão fazer com o investimento, realçando que ainda assim ficam problemas por resolver.

"O avanço do processo não resolve os problemas das empresas localizadas no eixo Famalicão-Trofa-Maia, mas vai permitir maior fluidez às milhares de viaturas de passageiros e de mercadorias que diariamente atravessam a via e, estamos em crer, é o inicio do processo que levará à concretização do conjunto de intervenções previstas para a zona ao nível das acessibilidades".

A obra em causa refere-se a uma das fases do projeto apresentado pelo Governo em 2015 na Continental Mabor e respeita à intervenção a executar no atual traçado da via, entre Calendário e Ribeirão - duplicação em 1,5 quilómetros e beneficiação em 2,5 quilómetros.

Segundo a Câmara de Vila Nova de Famalicão lembra, "o Governo enquadra esta empreitada na execução da Melhoria das Acessibilidades às Áreas de Localização Empresarial, conforme oportunamente anunciado pelo primeiro-ministro de Portugal, António Costa, em fevereiro deste ano, com um valor estimado na ordem dos 5,5 milhões de euros".

Para além desta intervenção, "o projeto global apresentado em 2015 para a resolução do problema do congestionamento da Nacional 14 prevê a construção pela IP de uma circular à estrada N14 desde Ribeirão, passando pela Trofa até ao concelho da Maia, com uma nova travessia sobre o Rio Ave para ligação do trânsito ao acesso à autoestrada Porto-Braga (A3) e à ferrovia (Estação da Trofa)".

Para além desta alternativa à N14, o projeto acordado entre Governo, empresas e autarquias, também prevê a criação de duas novas estradas de acesso às áreas empresariais: uma de ligação à Zona Industrial de Sam, em Ribeirão, a partir da rotunda do Sr. dos Perdões (Lago Discount), em Ribeirão e outra entre a nacional, desde o lugar de Ferreiros até Cabeçudos, estabelecendo a ligação à Zona Industrial de Lousado.

A autarquia assinala que "para já estas intervenções ficam ainda no papel", deixando um apelo.

"Estas novas artérias são absolutamente decisivas para o trabalho e crescimento das muitas empresas sediadas na zona, entre as quais está a Continental Mabor de Lousado, uma das maiores exportadoras do país e uma das que mais contribui para o equilíbrio da nossa balança comercial", lembra.

"É de crucial importância para o país que o Governo coloque na sua lista de prioridades a execução do projeto na sua globalidade, porque só assim se criará condições para o crescimento da dinâmica empresarial na zona", apela.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon