Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Câmara de Valongo lança Plano de Mobilidade para Todos

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

A Câmara de Valongo quer dotar os centros das várias freguesias de condições "para todos", através de intervenções que permitam a acessibilidade a pessoas com necessidades especiais, bem como a idosos, indicou hoje o presidente.

"Isto vem trazer uma revolução. Estes espaços centrais, altamente frequentados e utilizados, passam a ser espaços para todos, com acessibilidade para todos. Isto é um ganho muito grande. Colocamos o peão como ator principal", indicou o presidente da câmara, José Manuel Ribeiro.

Quando se refere a espaços centrais, em causa estão os núcleos das freguesias de Valongo, Ermesinde, Alfena, Campo e Sobrado.

José Manuel Ribeiro acredita que o plano possa ser executado em quatro anos e a estimativa de custos é de três milhões de euros.

"Mas já vamos avançar para o terreno com pequenas intervenções no valor de 600 mil euros comparticipadas por fundos comunitários. Não estão só em causa as pessoas com deficiência ou necessidades especiais. Hoje o problema da acessibilidade tem a ver também com os seniores", referiu.

O autarca falava à agência Lusa a propósito do Plano de Municipal de Acessibilidades para Todos que foi esta manhã apresentado, um documento no qual estão identificados obstáculos e necessidades de obras na via pública.

O estudo da câmara de Valongo e da empresa Mobilidade PT implicou, contou José Manuel Ribeiro, que fossem percorridos mais de 100 quilómetros por técnicos que identificaram passeis que necessitam de ser rebaixados, papeleiras ou outros obstáculos na via pública, entre outras situações.

"É um exercício notável de reconhecimento dos problemas que temos. Foi feito um estudo tendo em conta as melhores práticas que existem na acessibilidade. Essas zonas vão ser intervencionadas para que as pessoas possam deslocar-se. Foi quase um trabalho de acupuntura, um trabalho de microscópico. São zonas centrais muito importantes para o dia a dia das pessoas", explicou.

As zonas alvo de estudo e futura intervenção dão acesso a serviços como a estação de caminho-de-ferro, escolas, paragens acesso à rodovia, centros de saúde, espaços do cidadão, juntas de freguesia, entre outros.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon