Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Cabo Verde ao lado de Espanha na questão da Catalunha

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/10/2017 Administrator

O Governo cabo-verdiano expressou hoje "solidariedade inequívoca" com o Governo espanhol, defendendo uma Espanha "una e indivisível" e repudiando "todas as tentativas inconstitucionais de alteração política" no país.

Numa nota divulgada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e Comunidades (MNECV), o executivo cabo-verdiano adianta que vem seguindo com "redobrada atenção o desenvolvimento da situação política em torno da Catalunha" e afirma o seu apoio ao Governo de Madrid.

"Estribados nos valores e princípios da legalidade constitucional, da democracia e do Estado de direito, o Governo da República de Cabo Verde expressa de forma inequívoca a sua solidariedade ao Governo de Madrid e defende uma Espanha una e indivisível, multiétnica, multicultural e defensora de valores democráticos que enformam a grande nação espanhola, tão importante para a coesão e unidade europeia", refere a nota

O Governo de Cabo Verde diz que "repudia todas as tentativas inconstitucionais de alteração política em Espanha, mormente as não pacíficas" e afirma-se ainda "convicto de que as divergências políticas e os constrangimentos existentes, serão dirimidos no quadro constitucional prevalecente à sólida democracia espanhola e a bom contento de todos os espanhóis".

O Governo espanhol propôs no sábado acionar o artigo 155.º da Constituição, que implica a destituição do presidente da Catalunha e de todos os membros do seu executivo, a limitação das competências do parlamento regional e a marcação de eleições num prazo de seis meses.

As medidas têm de ser aprovadas pelo Senado (câmara alta), numa votação marcada para sexta-feira.

O Presidente do Governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont ameaçou proclamar a independência se o artigo 155.º for aplicado.

O presidente da Generalitat (governo regional autónomo) apoia a sua posição no referendo de 1 de outubro, proibido por Madrid, mas que acabou por se realizar e em que, segundo números do governo catalão, participaram 42% dos eleitores, 90% dos quais se pronunciaram a favor da independência.

O Governo de Espanha mantém que o referendo foi ilegal e exige o "regresso à legalidade", com a invalidação da consulta e dos seus resultados.

A Espanha é um dos principais parceiros de desenvolvimento de Cabo Verde.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon