Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Cabo Verde seduz investimento chinês com "localização estratégica" e "estabilidade"

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/09/2017 Administrator

O ministro da Economia e Emprego cabo-verdiano, José da Silva Gonçalves, apontou hoje, em Pequim, a "localização estratégica" e "estabilidade política e económica" de Cabo Verde como valências para atrair investimento chinês.

Cabo Verde "está numa encruzilhada entre quatro continentes" e, "certamente, a China, pelos seus interesses e posicionamento no mundo, vê isso como uma complementaridade", disse à agência Lusa o ministro cabo-verdiano.

José da Silva Gonçalves, que participou na China da 22.ª Assembleia-Geral da Organização Mundial do Turismo, lembrou ainda que Cabo Verde "é o único país de rendimento médio na [sua] região" e que goza de "estabilidade política, social e macroeconómica".

As relações entre a República de Cabo Verde e a República Popular da China, que remontam ao início da luta pela independência em Cabo Verde, foram formalizadas a 25 de abril de 1976, com o estabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países.

Algumas dos principais edifícios em Cabo Verde, como a Assembleia Nacional, Palácio do Governo ou Estádio Nacional, foram financiados e construídos por Pequim.

A primeira iniciativa de uma empresa privada chinesa no país, contudo, está só a nascer agora.

Com um investimento estimado em 250 milhões de euros, o empreendimento turístico da praia da Gamboa e ilhéu de Santa Maria, do empresário macaense David Chow, vai ocupar uma área de aproximadamente 153 mil metros quadrados e inclui, além de um empreendimento turístico de luxo, um casino.

A expetativa é que venha a gerar 2.100 postos de trabalho diretos e a receber diariamente 12 mil pessoas nos setores do comércio, lazer, desporto e cultura.

José da Silva Gonçalves lembra a importância do projeto para diversificar a oferta turística do país africano, muito ligada ao sol e mar, acrescentando jogos de azar, golf e salas de conferência, que permitirão atrair turismo de negócios.

"Será uma extensão daquilo que é Macau, numa escala muito diminuta", apontou o ministro, numa referência à Região Especial Administrativa chinesa, que é o maior centro de jogo do mundo.

Com uma população de cerca de 530.000 habitantes, Cabo Verde recebeu, em 2016, 644 turistas, um acréscimo de 13,2% face ao ano anterior.

"É uma área muito importante para a nossa economia, que corresponde a mais de 20% do PIB", lembrou o ministro.

Na China, José da Silva Gonçalves vai ainda participar esta semana num fórum dedicado à Economia Azul, na ilha de Pingtan, província de Fujian.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon