Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Cabo Verde vai assinar ainda este ano novo acordo de defesa e segurança com EUA

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/07/2017 Administrator

Cabo Verde pretende assinar ainda este ano um novo acordo de defesa e segurança com os Estados Unidos, que prevê garantir maior segurança nas suas águas territoriais, disse hoje o ministro das Relações Exteriores cabo-verdiano.

"Estamos a negociar um novo acordo de defesa com os Estados Unidos. Já houve propostas de parte a parte, estamos a aguardar uma reação norte-americana e acreditamos que até setembro, o mais tardar, estaremos em condições de o assinar", disse Luís Filipe Tavares.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana falava à imprensa à margem da tomada de posse de Maria de Jesus Miranda como nova representante permanente de Cabo Verde junto das Nações Unidas e de Organismos Internacionais com sede em Genebra, na Suíça.

Questionado se o acordo vai implicar ter bases ou tropas dos Estados Unidos estabelecidas em Cabo Verde, o ministro das Relações Exteriores e Comunidades disse apenas que "está a ser negociado" e terá que ser feito no quadro das leis dos dois países.

"É um acordo muito importante para Cabo Verde garantir maior segurança nas suas águas territoriais, estamos a negociar. Quando estiver totalmente negociado daremos a conhecer o seu teor à sociedade cabo-verdiana", prometeu.

Luís Filipe Tavares notou ainda que o acordo será "extremamente importante" para a proteção da circulação de pessoas, bens e mercadorias do atlântico norte para o atlântico sul e vice-versa.

"Estamos num bom caminho. É um trabalho importante que temos vindo a fazer", prosseguiu, informando que as tropas norte-americanas vão realizar no próximo ano vários exercícios militares em Cabo Verde, à semelhança do que aconteceu este ano com a Espanha, Reino Unidos, França e Brasil.

"São exercícios fundamentais para dissuadir todo o tipo de tráfego ilegal, de pessoas, drogas, pesca ilegal e outros problemas que temos nesta região do atlântico", salientou o ministro das Relações Exteriores e Comunidades de Cabo Verde.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon