Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Caixa de segurança da Luz não pode ser alargada" - PSP

Logótipo de LusaLusa 31/03/2017 Alexandra Oliveira
MANUEL DE ALMEIDA/LUSA © LUSA / MANUEL DE ALMEIDA MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Lisboa, 31 mar (Lusa) – A Polícia de Segurança Pública (PSP) garantiu hoje que a caixa de segurança do Estádio da Luz não pode ser alargada para o Benfica-FC Porto, de sábado, para a I Liga de futebol, e que cabe ao promotor verificar os ingressos.

“A estrutura [da caixa de segurança] é inamovível e não pode ser alargada”, afirmou o subintendente da PSP Pedro Pinho, na conferência de imprensa sobre as medidas de segurança para o ‘clássico’, da 27.ª jornada do campeonato, que tem lotação esgotada há vários dias.

No evento, considerado de risco elevado, são esperados 63.500 espetadores, dos quais 3.250 afetos ao FC Porto, que adquiriram os bilhetes disponibilizados pelos ‘encarnados’.

No entanto, segundo a imprensa, o número de adeptos portistas poderá ascender a 5.000, uma vez terão sido adquiridos 1.700 bilhetes que eram destinados a adeptos do Benfica.

Pedro Pinho assegurou que entrarão no Estádio da Luz “todos os que tenham ingresso válido e reúnam as condições de acesso definidas pelo promotor, a quem compete o trabalho de verificação”.

Na quinta-feira, o Benfica anunciou que todos os sócios com bilhete para o jogo deverão ser portadores do seu cartão de associado e do documento de identificação.

Sobre a possível aquisição de bilhetes destinados a adeptos do Benfica por parte de apoiantes do FC Porto, a PSP afirmou a única informação de que dispõe é a de que “os bilhetes disponibilizados ao FC Porto foram todos vendidos”.

O subintendente Pedro Pinho admitiu que “num ou noutro ponto do estádio, que não o definido, estejam alguns adeptos do FC Porto”, acrescentando que caso haja adeptos impedidos de entrar a situação em termos de segurança “terá de ser avaliada casuisticamente”.

Pedro Pinho admitiu que o jogo, agendado para as 20:30, merece grande atenção em termos de segurança devido a vários fatores: “É um jogo entre o primeiro e o segundo classificado. Sabemos que é o maior estádio do país, com 63.500 lugares, junto ao maior espaço comercial da cidade de Lisboa e à principal via de acesso ao aeroporto”.

Devido às obras da futura Feira Popular, a PSP alterou o local de concentração dos adeptos do FC Porto para as zonas de Alfornelos e Pontinha.

“Queremos que os adeptos do FC Porto estejam no complexo à abertura de portas. Queremos que as pessoas desfrutem do jogo”, disse Pedro Pinho.

O Benfica, tricampeão nacional, parte para o ‘clássico’, na liderança da I Liga, com um ponto de vantagem sobre o FC Porto, segundo classificado.

AO // JP

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon