Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Calmejane: nove herói francês no Tour explica como fintou as câibras

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/07/2017 Hugo Monteiro

Lilian Calmejane (Direct Energie) venceu a oitava etapa da 104.ª Volta a França em bicicleta, dando a segunda vitória aos gauleses.

Lilian Calmejane (Direct Energie) venceu a oitava etapa da 104.ª Volta a França em bicicleta, dando a segunda vitória aos gauleses, com Chris Froome (Sky) a conservar a liderança da geral individual.

Calmejane, de 24 anos, cortou a meta em primeiro ao fim de 4:30.29 horas, depois de se ter isolado dos restantes fugitivos na última subida da tirada do dia, de 187,5 quilómetros, com o holandês Robert Gesink (Lotto NL-Jumbo) a chegar em segundo, a 37 segundos, e o francês Guillaume Martin (Wanty-Groupe Gobert) em terceiro, a 50.

Num dia de sonho para o francês, que é também o líder da classificação de montanha, as cãibras que sofreu a 4.900 metros da chegada quase deitaram todo o trabalho e esforço a perder, mas o corredor da Direct Energie recompôs-se e não permitiu que Gesink lhe roubasse o triunfo.

"É tudo com o que poderia sonhar no início. O ano passado, na Vuelta, ganhei da mesma forma, e esta é uma vitória magnífica", explicou, no final da tirada, o novo ídolo dos franceses, que revelou que a mudança de velocidade na bicicleta permitiu-lhe contrariar as cãibras, que lhe deram "dores como nunca".

Depois de um início de etapa sob forte calor e percorrido a um ritmo muito alto, que inviabilizou várias tentativas de fuga, foi um grupo alargado, com mais de 50 corredores espalhados entre fugitivos e perseguidores à frente do pelotão, a abrir espaço à fuga do dia.

Lilian Calmejane, como o segundo classificado Gesink, já despontavam então, mas também o irlandês Nicolas Roche (BMC), com aspirações à geral, tentou a sua sorte, enquanto, no grupo dos favoritos, Geraint Thomas (Sky), segundo da geral atrás do colega de equipa Froome, tinha sofrido mais uma queda.

Com o 'trio' acompanhado por Serge Pauwels (Dimension Data), o jovem francês atacou e deixou todos para trás a cinco quilómetros do final da subida, e 16 da meta, e nem as cãibras a cinco quilómetros da meta o impediram de cortar a meta em primeiro, à frente de Gesink.

No final de uma etapa aberta, Calmejane celebrou, assim, a segunda vitória francesa na 104.ª edição do Tour, depois de Arnaud Démare (FDJ) ter vencido a quarta tirada.

Trata-se da maior vitória da carreira de Calmejane, que em 2016 tinha conseguido vencer uma etapa de traçado similar na Volta a Espanha.

© Christian Hartmann/Reuters

Quanto aos favoritos, surgiram todos no mesmo grupo, a 50 segundos do vencedor, pelo que não se produziram alterações nos lugares cimeiros da geral individual.

O único português em prova, Tiago Machado (Katusha-Alpecin), terminou hoje em 60.º, a 13.12 minutos do primeiro, depois de ter tentado várias vezes integrar a fuga nos quilómetros iniciais da etapa, sendo agora 59.º na geral, a 20.18.

No domingo, Froome partirá novamente de amarelo na etapa que liga Nantua a Chambéry, na distância de 181,5 quilómetros, com uma 'trilogia' de subidas de categoria extra, o mais elevado grau de dificuldade, que poderá causar alterações nos primeiros lugares da geral.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon