Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Cantora senegalesa detida por ofensa ao chefe de Estado

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/08/2017 Administrator

A cantora senegalesa Amy Collé Dieng foi interpelada por "ofensa" ao chefe de Estado, devido a afirmações contra o presidente Macky Sall constantes de um vídeo distribuído na internet, alguns dias depois das eleições legislativas.

Amy Collé Dieng, cantora de 'mbalakh', música senegalesa baseada nas percussões, foi detida na noite de quinta-feira, em Dakar, pela polícia, afirmou à AFP uma fonte policial.

Ela é acusada de "ofensa ao chefe de Estado e difusão de notícias falsas", segundo a mesma fonte.

O procurador da República, Serigne Bassirou Guèye, afirmou hoje à noite que existem "pessoas mal-intencionadas que utilizam as redes sociais e outros sítios da internet para divulgarem imagens e afirmações obscenas, injuriosas e até étnicas".

Amy Collé Dieng continuava hoje à noite detida na Divisão de Investigações Criminais (polícia judiciária), segundo um responsável administrativo, que se exprimiu sob anonimato.

A cantora afirmou depois da sua detenção que integra um grupo privado na rede social WhatsApp e que as suas afirmações não se destinavam a serem públicas.

Num registo sonoro, divulgado na quinta-feira, em vários sítios na internet e nas redes sociais, a cantora mostrou-se favorável ao ex-presidente Abdoulaye Wade (2000-2012), um dos líderes da oposição durante as eleições legislativas de 30 de julho, e crítica do presidente Sall.

O Senegal, um dos raros países africanos a não ter conhecido nenhum golpe de Estado desde a independência em 1960, e que viveu duas alternâncias pacíficas, em 2001 e 2012, é elogiado com frequência como sendo um modelo de democracia no continente.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon