Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Casa dos Direitos de Bissau critica atuação das forças de segurança

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/07/2017 Administrator

As organizações fundadoras da Casa dos Direitos em Bissau, Guiné-Bissau, criticaram hoje, em comunicado, as "ameaças e intimidações" de agentes do Estado às liberdades cívicas realizadas no sábado.

No sábado, depois de a polícia impedir a manifestação do Movimento dos Cidadãos Conscientes e Inconformados em Bissau, os jovens dirigiram-se para a Casa dos Direitos onde realizaram um pequeno protesto e uma conferência de imprensa.

A polícia cercou o edifício durante várias horas.

As organizações fundadoras da Casa dos Direitos "repudiam as ameaças e intimidações de agentes do Estado guineense às liberdades cívicas e aos seus espaços de participação" e comprometem-se a manter o edifício aberto à cidadania e a defendê-lo como "património valioso das organizações cívicas e do povo da Guiné-Bissau na sua luta pela democracia e pela realização dos direitos humanos".

No comunicado, as organizações fundadoras salientam que a Casa dos Direitos é um "símbolo de conquistas das organizações cívicas, que, num espaço que foi de privação de liberdade, criaram um espaço de liberdade e de defesa dos direitos humanos, que incluem uma comunicação social independente, as liberdades de expressão, de reunião, de organização ou de manifestação".

A Casa dos Direitos foi fundada pelas organizações não-governamentais Associação para a Cooperação entre Povos, Associação dos Amigos da Criança, Liga Guineense dos Direitos Humanos e Tininguena - Esta terra é nossa.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon