Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Catalunha: Banqueiros e empresários expressam apoio a decisões de Madrid

Logótipo de O Jogo O Jogo 29/10/2017 Administrator

Banqueiros e empresários manifestaram hoje apoio à decisão do Governo espanhol de convocar novas eleições regionais na Catalunha e demitir a liderança responsável pela declaração unilateral de independência.

A Associação Espanhola da Banca e a Confederação Espanhola de Caixas de Aforro declararam, em comunicado conjunto, o seu "compromisso com a Constituição e a legalidade vigente" e lembraram que as instituições que representam estão sujeitas à regulação espanhola e europeia, bem como à supervisão do Banco de Espanha e do Banco Central Europeu (BCE).

As duas entidades afirmam-se ainda comprometidas com o cumprimento das leis que emanam da Constituição e que a sua missão principal "é proteger e gerir os depósitos dos seus clientes e financiar o crescimento".

Por seu turno, o Círculo dos Empresários espanhol declarou "o seu absoluto apoio" à decisão do Governo, afirmando que era fundamental acabar com um processo independentista que provocou "estragos sociais e económicos", prejudicando as economias catalã e espanhola.

Neste âmbito, o organismo diz esperar que os espanhóis não comecem a boicotar produtos catalães e saibam distinguir "os compatriotas catalães sensatos e democratas" daqueles que "quiseram irresponsavelmente conduzir a Catalunha a um abismo".

O parlamento regional da Catalunha aprovou na sexta-feira a independência da região, numa votação sem a presença da oposição, que abandonou a assembleia regional e deixou bandeiras espanholas nos lugares que ocupavam.

Ao mesmo tempo, em Madrid, o Senado espanhol deu autorização ao Governo para aplicar o artigo 155.º da Constituição para restituir a legalidade na região autónoma.

O executivo de Mariano Rajoy, do Partido Popular (direita), apoiado pelo maior partido da oposição, os socialistas do PSOE, anunciou ao fim do dia a dissolução do parlamento regional, a realização de eleições em 21 de dezembro próximo e a destituição de todo o Governo catalão, entre outras medidas.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon