Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Catalunha: Edgar Morin critica "resposta brutal" de Madrid e alerta para "medo" da UE

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/10/2017 Administrator

O sociólogo francês Edgar Morin criticou hoje a "resposta brutal" de Madrid aos anseios independentistas da Catalunha, considerando que esta intransigência são sinal do "medo da Europa" perante os movimentos secessionistas.

"A Europa foi construída sobre o mito dos Estados nacionais", a União Europeia tem "medo das aspirações soberanistas" de territórios que compõem os países-membros, afirmou Edgar Morin, em entrevista à agência Lusa, à margem da apresentação do livro "Lusofonia e Francofonia -- a aliança da Latinosfera", que decorreu em Lisboa.

"A Catalunha já foi uma Nação e os catalães preservaram a língua catalã", recordou o pensador francês, salientando que o processo de afirmação da independência foi "democrático" e constituiu um desejo de "emancipação através de um referendo".

No entanto, ao contrário do que sucedeu em territórios com aspirações independentistas como o Quebeque (Canadá) ou a Escócia (Reino Unido), a consulta catalã "não foi prevista pela lei" de Espanha "e o Governo espanhol sabotou o referendo".

Este boicote à consulta da população "não reflete o espírito europeu" de tolerância, alertou Edgar Morin, que se mostrou indignado com a intransigência de Madrid em negociar: "a reação do governo central foi de uma extrema brutalidade".

Nas últimas semanas, "sugeri a mediação da presidente da Câmara de Paris, Anne Hidalgo", que é de origem espanhola, para tentar ultrapassar o impasse, relatou.

"Eu amo a Catalunha e amo a Espanha", disse Morin, que se mostra preocupado com os próximos anos.

"Estamos perante um futuro de grande incerteza e com um grande risco de insegurança catastrófica", pelo que "temos de estar vigilantes para prevenir essa catástrofe", avisou.

Hoje, o Parlamento catalão aprovou uma declaração unilateral de independência que teve a condenação da comunidade internacional e a resposta de Madrid, que ordenou hoje a destituição do presidente regional da Catalunha e de vários dirigentes catalães.

O senado espanhol (câmara alta) aprovou hoje a aplicação inédita do artigo 155 da Constituição, que permite ao governo central suspender parte ou na totalidade a autonomia de uma região espanhola.

O executivo em Madrid decidiu apresentar junto do Tribunal Constitucional um requerimento a pedir a nulidade da declaração de independência aprovada pelo Parlamento regional catalão.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon