Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Catalunha: Governo catalão acusa Espanha de querer "castigar economia" da região

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/10/2017 Administrator

O Governo catalão acusou hoje o Executivo espanhol de querer "castigar a economia catalã" com o decreto que prevê aprovar na sexta-feira em Conselho de Ministros para facilitar a saída rápida das empresas da Catalunha.

Esta posição foi defendida pelo secretário da Economia do Executivo regional catalão (Generalitat), Pere Aragonès, numa alusão ao decreto que pretende facilitar a mudança de sede social das empresas sem necessidade de submeter esta decisão à assembleia de acionistas.

Em várias mensagens, através da sua conta na rede social Twitter, Aragonès salientou que a decisão demonstra que o Executivo espanhol "vê a independência da Catalunha perto" e, por isso, "pretende "castigar a economia catalã", o que considerou ser uma "total irresponsabilidade".

Fontes do departamento de Economia da Generalitat disseram à Efe que o Governo continuará a "trabalhar com os bancos" onde quer que tenham a sua sede social.

O Governo catalão considera que a decisão adotada hoje pelo Banco Sabadell de mudar a sede social para Alicante e a possibilidade do CaixaBank, que controla o BPI, avançar no mesmo sentido são acordos que, na prática, têm um impacto económico mínimo.

O Sabadell, segundo a Efe, informou o Governo catalão da decisão de mudar a sua sede social antes da aprovação, sendo que o CaixaBank também tem tido contacto com o Executivo.

O objetivo do Executivo espanhol é que o decreto-lei inclua uma nova disposição que modifique a Lei das Sociedades de Capital, permitindo agilizar a mudança de sede de uma empresa, refere a Efe.

Em maio de 2015, perante o interesse de várias empresas em mudar a sua sede social para outras comunidades autónomas, o Governo de Mariano Rajoy aprovou uma disposição adicional que reconhecia que, "salvo disposição contrária dos estatutos, o órgão de administração será competente para trocar o domicílio social dentro do território nacional".

Os receios perante uma proclamação unilateral de independência por parte da Generalitat aumentaram nos últimos dias nas empresas catalãs cotadas em bolsa.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon