Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Catalunha: Madrid afasta diálogo enquanto persistir ameaça de independência

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/10/2017 Administrator

O porta-voz do Governo de Espanha afirmou hoje que a "coexistência foi quebrada" na Catalunha e o diálogo só pode ser retomado quando as autoridades regionais separatistas deixarem de ameaçar com uma declaração de independência.

"Para haver diálogo, é preciso voltar à legalidade", disse Iñigo Méndez de Vigo, porta-voz do Governo espanhol, na habitual conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros.

Madrid considera ilegal e inconstitucional o referendo sobre independência realizado no domingo na Catalunha. Depois da consulta, em que participaram 42% dos eleitores que votaram maciçamente no 'sim', os líderes catalães anunciaram a intenção de declarar unilateralmente a independência.

Méndez de Vigo advertiu os separatistas catalães de que uma declaração de independência "não chega" e que as nações independentes têm de ser reconhecidas pela comunidade internacional.

Até ao momento, nenhum país declarou o seu apoio a uma independência da Catalunha e a União Europeia assegurou que uma Catalunha independente ficaria de fora da União e não poderia usar a moeda comum, tendo de pedir formalmente a adesão e cumprir o longo processo negocial decorrente.

O ministro espanhol defendeu por outro lado que voltar à legalidade devia implicar também "voltar ao diálogo no Parlament", o parlamento regional da Catalunha, dominado pelos partidos separatistas.

Esse diálogo, afirmou, foi interrompido a 07 de setembro quando os separatistas aprovaram as leis de referendo e transição, abrindo "uma brecha" que deve ser fechada.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon