Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Catalunha: Oriol Junqueras afirma que a independência é a única opção

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/10/2017 Administrator

O vice-presidente da Catalunha disse hoje que as autoridades espanholas "não deixam aos separatistas" outra opção a não ser a da declaração da independência.

Oriol Junqueras, vice-presidente da Generalitat e líder de um dos dois partidos da coligação no governo regional disse à Associated Press, que a Esquerra Republicana da Catalunha rejeita a convocação de eleições regionais argumentando que os catalães já escolheram ser independentes.

Em entrevista à AP, Junqueras disse que o partido (Esquerra Republicana da Catalunha) vai continuar a "trabalhar no sentido da construção de uma república" sublinhando que já existe um mandato democrático para estabelecer um novo regime.

O vice-presidente da Generalitat esclareceu que falava pelos republicanos e não em nome do governo regional catalão.

Espera-se que o presidente da Generalitat, Carles Puigdemont, se dirija ao Parlamento de Barcelona hoje às 17:00 (16:00 em Lisboa).

Entretanto, o Senado espanhol começa hoje o debate e votação das medidas que o Governo central pretende aplicar na Catalunha, ao abrigo do artigo 155 da Constituição, para impedir uma provável declaração de independência na região.

A Comissão do Senado que vai analisar as medidas propostas pelo executivo de Mariano Rajoy (PP, direita conservadora) começa às 17:00, à mesma hora que se inicia uma sessão plenária no parlamento regional catalão.

"O governo espanhol não nos deixa outra opção a não ser a de defender os direitos civis dos cidadãos", acrescentou Junqueras.

Desconhecem-se ainda as intenções de Puigdemont que deve reunir o gabinete ainda durante a manhã porque o encontro que decorreu até de madrugada não foi conclusivo.

A imprensa local refere que o presidente da Generalitat pode vir a convocar eleições regionais para evitar as medidas anunciadas pelo governo central (artigo 155 da Constituição).

Junqueras não concorda com a marcação das eleições locais afirmando que seria errado e "ilógico" renunciar ao mandato democrático que já foi concedido anteriormente pelos cidadãos da Catalunha.

Junqueras que é também responsável pelos assuntos económicos do governo regional acusa as "autoridades de centrais" de terem provocado o "êxodo" de empresas que deslocaram a sede social da Catalunha para outras zonas de Espanha.

"Nenhuma democracia é tão atacada como a nossa" afirmou.

"Esta situação é tão anormal e tão agressiva que está a criar um cenário muito pouco usual na Europa", acrescentou, referindo-se à saída das empresas da Catalunha.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon