Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Cerca de 40 pessoas assinalam arranque da greve na PT junto à sede em Lisboa

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/07/2017 Administrator

A greve dos trabalhadores da PT Portugal teve início à meia-noite de sexta-feira, com aproximadamente 40 pessoas, a maioria ligada aos sindicatos e à Comissão de Trabalhadores (CT), a marcarem presença junto da sede da operadora em Lisboa.

Jorge Félix, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Portugal Telecom (STPT), acusou a Altice (dona da PT) de querer transferir "de forma unilateral e abusiva" cerca de uma centena e meia de trabalhadores da PT Portugal para empresas do grupo Altice e Visabeira.

"A Altice quer ver-se livre destes trabalhadores e nós estamos cá para os defender", afirmou aos jornalistas o responsável assim que começou a greve geral de 24 horas.

Os sindicatos afetos à PT e a Comissão de Trabalhadores convocaram a greve em protesto contra a transferência de 155 trabalhadores da operadora de telecomunicações para empresas do grupo Altice e Visabeira.

Um dos trabalhadores nesta situação, que pediu para não ser identificado, disse à Lusa que trabalha há mais de 20 anos como técnico projetista e que recentemente completou 25 anos de serviço na PT.

"Até recebi um ligeiro aumento salarial quando fiz 25 anos de casa e logo a seguir vem esta má notícia", assinalou, revelando que se encontrava de férias e foi avisado pelos colegas que tinha sido convocado pela entidade patronal para uma reunião que decorreria dois dias depois.

"Não fui a essa reunião porque estava de férias mas fui à reunião de acolhimento da Sudtel. Saí de lá a saber que vou exercer as mesmas funções, no mesmo local de trabalho e até com o mesmo computador", relatou o trabalhador.

E acrescentou: "Disseram-me que durante um ano mantinha tudo igual ao que tenho na PT/MEO, mas passado esse período passava para os quadros da nova empresa, perdendo todos os meus direitos".

A mesma fonte realçou que o grupo de trabalhadores envolvidos nesta transferência está "a projetar a rede de fibra que a Altice quer desenvolver no país" e que, devido aos bons resultados que têm sido obtidos, até tem sido pago um complemento de desempenho.

"Tudo isto faz-me pensar que a curto prazo, assim que a Altice tenho o projeto de fibra concluído, aproveita e despede 156 ou 157 trabalhadores. Livra-se de nós", lamentou.

A última greve dos trabalhadores da operadora de telecomunicações aconteceu há mais de 10 anos.

Em declarações à Lusa esta semana, fonte oficial da PT Portugal disse que a empresa já ativou os "devidos planos de contingência". A Lusa questionou que planos são esses, mas até à data não obteve qualquer resposta.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon