Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Chefes da diplomacia da Rússia e EUA reúnem-se em clima de guerra de sanções

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/09/2017 Administrator

O secretário de Estado norte-americano Rex Tillerson e o homólogo russo Sergueï Lavrov encontraram-se no domingo em Nova Iorque, antes do início da assembleia geral da ONU, quando as relações entre Washington e Moscovo estão em baixa.

Durante a reunião, reafirmaram o seu compromisso com a redução da violência na Síria e com a criação de condições para fazer progredir o processo político de Genebra, de acordo com um comunicado do departamento de Estado norte-americano.

A Síria é um dos dossiers em que Washington espera conseguir um entendimento com Moscovo.

Além da "cooperação sobre a crise na Síria", a reunião de domingo focou-se nos dossiers do Médio Oriente e no acordo de Minsk de 2015 sobre o conflito na Ucrânia.

Os dois países não referiram se a crise nascida das ambições nucleares norte-coreanas foi abordada. A Rússia considera que as sanções mais fortes reclamadas pelos norte-americanos à ONU são ineficazes, mas votou a favor nas últimas sanções e Washington instou Moscovo a aumentar a pressão sobre Pyongyang.

Sergueï Lavrov e Rex Tillerson tinham combinado encontrar-se, depois de um telefonema em agosto, que coincidiu com o início de uma nova etapa na guerra de sanções entre a Rússia e os Estados Unidos: Washington tinha ordenado o encerramento de um consulado russo em nome da "igualdade", depois de uma redução drástica da sua própria presença diplomática na Rússia, decidida por Moscovo.

Depois disso, o Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou diminuir ainda mais o pessoal diplomático norte-americano na Rússia.

Quando chegou à Casa Branca em janeiro, Donald Trump anunciou um reatar das relações entre as duas potências. No entanto, desde então estas não cessaram de deteriorar devido às acusações de interferência russa nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016.

Putin não vai estar presente na assembleia-geral da ONU, onde Trump fará a sua primeira aparição como Presidente.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon