Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

China liberta livreiro de editora especializada em rumores sobre líderes chineses - Suécia

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/10/2017 Administrator

As autoridades suecas anunciaram hoje que a China libertou Gui Minhai, um cidadão sueco de origem chinesa, que trabalhava numa editora de Hong Kong especializada em rumores sobre os líderes chineses.

"Fomos informados pelas autoridades chinesas de que ele foi libertado", afirmou à agência France-Presse a porta-voz do ministério sueco dos Negócios Estrangeiros, Sofia Karlberg.

Gui Minhai desapareceu em outubro de 2015, quando passava férias na Tailândia, tendo aparecido mais tarde na televisão estatal chinesa CCTV a confessar que se entregou às autoridades pelo atropelamento e morte de uma jovem em 2004.

A sua filha, Angela Gui, não confirmou, no entanto, a libertação do pai, afirmando que não foi ainda contactada por ele.

"Nem eu, nem nenhum dos membros da minha família, ou algum dos seus amigos, fomos contactados" afirmou Angela Gui, em comunicado.

"Ainda não sabemos onde ele está. Estou profundamente preocupada com a sua saúde", disse.

Gui Minhai, de 53 anos, é um dos cinco livreiros da "Mighty Current" - editora conhecida por publicar livros críticos dos líderes chineses -, e que desapareceram no final de 2015.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon