Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

China tem de vencer Coreia do Sul para manter esperança de qualificação para o Mundial

Logótipo de O Jogo O Jogo 22/03/2017 Ana Proença

O técnico italiano de futebol Marcello Lippi enfrenta esta quarta-feira o seu maior desafio como selecionador da China, precisando de uma vitória contra a Coreia do Sul para manter viva a esperança de qualificação para o Mundial'2018.

A única participação da China num Campeonato do Mundo foi em 2002, quando perdeu os três jogos que disputou e não marcou um único golo.

Na zona asiática de qualificação para o Mundial que se disputará na Rússia, a China ocupa o último lugar do grupo A, com apenas dois pontos, ao fim de cinco jogos.

Lippi foi campeão do Mundo com a Itália, em 2006, e assumiu o comando técnico da seleção chinesa em outubro passado, quando a equipa estava já no último lugar do grupo.

© Fornecido por O jogo

O italiano precisa de golos de um conjunto que não marcou uma única vez nas últimas quatro partidas.

"Sabemos que o jogo vai ser difícil e esperamos que os adeptos nos apoiem. Estamos a trabalhar no duro para enfrentar a Coreia do Sul", afirmou Lippi em conferência de imprensa.

Em caso de derrota, a China fica matematicamente afastada dos dois primeiros lugares do grupo, que dão acesso direto ao Mundial.

Entre 2012 e 2014, Lippi liderou a equipa chinesa Guangzhou Evergrande na conquista de três edições da superliga chinesa e uma Liga dos Campeões da Ásia.

O treinador italiano chamou sete jogadores da antiga equipa à seleção.

"Lippi disse-nos que ainda há esperança", afirmou o médio do Guangzhou Huang Bowen.

Uma vitória da Coreia do Sul, que ocupa o segundo lugar do grupo, com menos um ponto do que o líder Irão, será importante para a equipa garantir a sua nona qualificação consecutiva para o Campeonato do Mundo.

Em 31 jogos disputados entre as duas seleções, a China ganhou apenas por uma vez.

O jogo decorre numa altura de crescente tensão entre as duas nações vizinhas, devido à decisão da Coreia do Sul de instalar no seu território um sistema antimísseis norte-americano, que Pequim considera ameaçar os seus interesses.

"A partida contra a China será provavelmente a segunda com mais pressão na fase de qualificação, a seguir ao jogo contra o Irão", considerou o selecionador da Coreia do Sul, Uli Stielike.

"Vou tentar garantir que os nossos jogadores não são influenciados pela atmosfera no estádio ou outros fatores extra futebol", disse.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon