Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Clubes portugueses têm recursos para competir ao mais alto nível"

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/03/2017 Alcides Freire

Giorgio Marchetti esteve no congresso Football Talks, que decorre até sexta-feira, e falou sobre os modelos das competições europeias até 2021

Portugal soube recentemente que irá perder uma vaga na Liga dos Campeões em 2018/19, descendo de três participantes para apenas dois (somente um com entrada direta), mas Giorgio Marchetti relativizou este cenário, lembrando que "o sistema de quocientes é dinâmico" e que os clubes portugueses têm condições para inverter este ciclo.

"Se Portugal perdeu agora uma posição na Liga dos Campeões é devido ao conjunto das suas performances. Penso que os clubes portugueses demonstraram sempre que têm recursos para competir ao mais alto nível. Têm todos os meios para voltar e para conquistar posições novamente. É uma luta muito renhida", sublinhou.

Esta alteração nas vagas deverá conduzir a uma maior aposta na Liga Europa, em que as receitas são substancialmente inferiores às da Liga dos Campeões. No entanto, o diretor de competições da UEFA vincou que o organismo já decidiu avançar para um aumento das receitas para os clubes na segunda prova.

"Já aumentámos a distribuição de receitas para a Liga Europa. Na verdade, a distribuição pelos clubes na Liga Europa é maior do que as receitas da competição e assim será também no futuro próximo. Isto é para continuar e já foi anunciado que haverá um movimento extra de 50 milhões de euros da Liga dos Campeões para a Liga Europa", frisou.

© DIOGO PINTO-FPF

Por fim, Marchetti demonstrou a sua sintonia com o presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, que ontem havia manifestado neste fórum a sua recusa de uma Superliga europeia - organizada pelos clubes mais poderosos - em alternativa ao atual modelo da Liga dos Campeões.

"A UEFA não faz as coisas sozinha. O que é a Superliga? Se a Superliga é uma competição fechada para a elite, então essa não é a nossa competição. Estamos muito felizes por manter a Liga dos Campeões aberta. As competições organizadas pela UEFA são de nível 'top', mas abertas a todos", rematou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon