Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

COI quer regras do recinto de golfe para JO Tóquio2020 alteradas até junho

Logótipo de LusaLusa 02/03/2017 Alexandra Oliveira

Tóquio, 02 mar (Lusa) – O Comité Olímpico Internacional (COI) avisou hoje o clube privado que deverá acolher a competição de golfe dos Jogos Tóquio2020 que, se não aceitar mulheres, não poderá ser um recinto olímpico.

Durante uma visita a Tóquio, o vice-presidente do COI John Coates referiu que o Kasumigaseki Country Club está a ficar sem tempo para rever a sua política de admissão de membros.

“Os nossos princípios baseiam-se na não discriminação, essa é uma posição que queremos deixar bem clara”, disse Coates, que lidera a comissão de coordenação encarregada dos preparativos para os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

John Coates explicou que na semana passada “se registaram progressos nas negociações com o clube, tendo em vista o fim de uma política discriminatória”, acrescentando que o assunto tem de estar resolvido até junho.

“Em algum momento tem de haver uma decisão”, referiu, admitindo a possibilidade de ser necessário procurar outro campo de golfe.

Fundado em 1929, o Country Kasumigaseki não admite mulheres como membros efetivos e ainda as impede de utilizarem as instalações ao domingo.

INÁCIO ROSA/LUSA © LUSA / INÁCIO ROSA INÁCIO ROSA/LUSA

A organização dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 já pediu ao clube escolhido para albergar a sede olímpica que reveja as suas regras no que respeita a aceitar as mulheres como membros de pleno direito.

AO // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon