Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Comércio externo de Macau sobe 6,9% até julho

Logótipo de O Jogo O Jogo 31/08/2017 Administrator

O comércio externo de Macau subiu 6,9% nos primeiros sete meses do ano, em termos anuais homólogos, atingindo 47,94 mil milhões de patacas (5 mil milhões de euros), indicam dados oficiais hoje divulgados.

Segundo a Direção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC), entre janeiro e julho, Macau exportou bens avaliados em 6,73 mil milhões de patacas (702 milhões de euros) -- mais 13,3% -- e importou produtos avaliados em 41,21 mil milhões de patacas (4,30 mil milhões de euros) -- mais 5,9% em termos anuais homólogos.

Por conseguinte, o défice da balança comercial aumentou, atingiu 34,47 mil milhões de patacas (3,60 mil milhões de euros).

Em termos de mercados, as exportações para a China entre janeiro e julho totalizaram 1,23 mil milhões de patacas (128 milhões de euros) até julho, refletindo uma subida de 17,7%.

As vendas de mercadorias para os países de língua portuguesa foram de 700 mil patacas (74,1 mil euros), valor que traduz uma queda de 88,2% em termos anuais homólogos.

Em contrapartida, as exportações para Hong Kong (4,09 mil milhões de patacas ou 427 milhões de euros) cresceram 19,5% e para os Estados Unidos (103 milhões de patacas ou 10,7 milhões de euros) aumentaram 18,9% entre janeiro e julho.

Já as vendas de mercadorias para a UE (114 milhões de patacas ou 11,9 milhões de euros) caíram 4,7%.

Em termos de mercadorias, exportaram-se 6,19 mil milhões de patacas (646,7 milhões de euros) de produtos não têxteis, mais 11,9%, em termos anuais.

As exportações de joalharia com diamantes (479 milhões de patacas ou 50 milhões de euros) cresceram 34,8%, enquanto as de componentes eletrónicos (526 milhões de patacas ou 54,9 milhões de euros) diminuíram 22,4%. As exportações de produtos têxteis e vestuário (540 milhões de patacas ou 56,4 milhões de euros) aumentaram 32,5%, segundo a DSEC.

Já do lado das importações, Macau comprou à China produtos no valor de 13,50 mil milhões de patacas (1,41 mil milhões de euros) -- menos 6,2% em termos anuais homólogos.

A mesma tendência foi verificada nas importações de mercadorias dos países de língua portuguesa (356 milhões de patacas ou 37,1 milhões de euros) que diminuíram 3%.

Em sentido inverso, as compras à UE (10,65 mil milhões de patacas ou 1,11 mil milhões de euros) aumentaram 14,2%.

Ao nível dos produtos, destaca-se as importações de joalharia em ouro (3,70 mil milhões de patacas ou 386,6 milhões de euros) e de relógios de pulso (2,98 mil milhões de patacas ou 311,4 milhões de euros) que subiram, respetivamente, 31,3% e 39,2%, de acordo com a DSEC.

Já as compras de telemóveis (2,11 mil milhões de patacas ou 220 milhões de euros) e de materiais de construção (1,02 mil milhões de patacas ou 106,6 milhões de euros) registaram descidas de 17,4% e 17,1%, respetivamente.

Só em julho, Macau exportou produtos avaliados em 1,11 mil milhões de patacas (116 milhões de euros) -- mais 34% face ao mesmo mês de 2016 -- e importou mercadorias no valor de 6,15 mil milhões de patacas (642,7 milhões de euros), ou seja, mais 8,7%, indica a DSEC.

Por conseguinte, o défice da balança comercial de junho alcançou 5,03 mil milhões de patacas (847,1 milhões de euros).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon