Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Comissão Europeia vai reavaliar financiamentos comunitários à Turquia

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/10/2017 Administrator

Os 28 Estados-membros da União Europeia (UE) pediram à Comissão Europeia para avaliar uma possível redução ou reorientação dos fundos de pré-adesão atribuídos à Turquia, anunciou hoje o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

"Pedimos à Comissão para refletir se é necessário cortar ou reorientar os fundos de pré-adesão", disse Tusk, em declarações em Bruxelas.

Os líderes europeus, entre eles a chanceler alemã Angela Merkel, defenderam na quinta-feira uma redução ou uma reorientação dos financiamentos ligados às negociações de adesão da Turquia ao bloco comunitário, na sequência dos vários desentendimentos que têm marcado a relação com Ancara.

Vários países europeus têm estado envolvidos em episódios de grande tensão com a Turquia após o golpe de Estado fracassado de julho de 2016 e a consequente resposta das autoridades de Ancara, que deram início a uma purga em diversos organismos estatais e setores da sociedade turca e prenderam dezenas de milhares de pessoas.

Perante o eventual risco de irritar o governo turco e o Presidente islâmico-conservador Recep Tayyip Erdogan com tal orientação, o presidente do Conselho Europeu salientou que "a Turquia deve respeitar todos os Estados-membros nas relações que mantém com a UE".

"Queremos manter a porta aberta a Ancara, mas a realidade atual na Turquia torna isso difícil", reconheceu Donald Tusk, relatando que na cimeira de chefes de Estado e de Governo da UE, que decorreu hoje e quinta-feira em Bruxelas, existiu uma "discussão substancial" entre os líderes europeus sobre as respetivas relações com Ancara.

Durante a recente campanha eleitoral na Alemanha, Angela Merkel chegou a avançar que pretendia propor aos seus homólogos europeus uma suspensão das negociações de adesão da Turquia.

Contudo, a maioria dos líderes europeus não quer afastar de forma tão definitiva um parceiro estratégico como a Turquia, que é um elemento vital para conter a vaga migratória ou lutar contra o terrorismo e os radicais extremistas.

"Devemos evitar uma rutura e manter um diálogo muito firme e muito exigente", declarou hoje o Presidente francês, Emmanuel Macron.

Vários mil milhões de euros estão previstos no orçamento da UE, para o período 2014-2020, para ajudar o governo turco a aplicar reformas que visam aproximar o país da UE, nomeadamente em questões relacionadas com a governação, democracia, Estado de direito e respeito pelos direitos fundamentais.

No entanto, por causa do quase total impasse nas negociações ao longo dos últimos anos, menos de 400 milhões de euros foram direcionados para projetos. A Comissão Europeia salientou que uma grande parte deste financiamento destinou-se a organizações não-governamentais e não diretamente para as autoridades turcas.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon