Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Como funciona uma régie durante um jogo de futebol

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/08/2017 Ana Proença

Num universo onde cada segundo conta, a sintonia com a equipa da régie é sinónimo de sucesso

Nesta entrevista concedida a O JOGO, Ricardo Espírito Santo levanta o pano sobre o funcionamento de uma régie - um mundo onde as decisões são tomadas ao segundo - e revela que o grande segredo para o sucesso de uma transmissão de um jogo de futebol passa por automatismos que, no seu caso, foram criados após vários anos a trabalhar com uma equipa que se tornou uma... família.

"Um dos privilégios que sempre tive foi escolher a equipa que trabalha comigo. Desta forma, consegui criar todos os automatismos que me permitem assegurar transmissões de qualidade. Objetivamente, eu não tenho tempo para estar o jogo todo "câmara 2 dá-me isto, câmara 3 dá-me aquilo"... É impossível e provoca dislexias [risos]. Temos é de trabalhar a montante para saber o que cada um tem de fazer ao nível do segundo. Tenho uma grande admiração pelos homens que trabalham comigo, que são amigos do fundo do coração", assegura.

citacaoNuma transmissão da Champions estão envolvidas, com ação direta e indireta, à volta de 100 pessoasesquerda

O realizador Ricardo Espírito Santo © D.R. O realizador Ricardo Espírito Santo

Na última terça-feira, Ricardo Espírito Santo foi um dos grandes responsáveis pela chegada das imagens do Sporting-Steaua Bucareste, transmitido pela RTP, a milhares de lares portugueses graças a uma operação tornada possível por cerca de uma centena de pessoas, cerca do triplo do material humano necessário para assegurar a transmissão de um encontro a contar para a I Liga que não envolva Benfica, Sporting ou FC Porto.

"Num duelo válido para a Liga dos Campeões estão envolvidas na transmissão, com ação direta ou indireta, cerca de 100 pessoas. Estou a contar com operadores de câmara, técnicos de grafismo, jornalistas, assistentes... É um número interminável de gente a trabalhar em prol de um objetivo", explica Ricardo Espírito Santo, garantindo que, em Portugal, os clubes facilitam o trabalho aos realizadores. "É tudo muito tranquilo e raramente há problema", remata o realizador.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon